Lobby de autos na China opõe mudança sobre controle estrangeiro

terça-feira, 3 de dezembro de 2013 10:06 BRST
 

XANGAI/PEQUIM, 3 Dez (Reuters) - O lobby de automóveis da China reagiu com ferocidade a uma possível movimentação de Pequim para abrandar as restrições de controle estrangeiro na indústria automotiva, dizendo que a medida pode enfraquecer seriamente a posição de montadoras nativas.

Dong Yang, secretário-geral da Associação Chinesa de Fabricantes de Automóveis (CAAM, na sigla em inglês), disse que se as regras sobre controle estrangeiro forem relaxadas, as montadoras chinesas perderão o controle de joint-ventures das quais elas hoje detêm e operam em conjunto com montadoras globais.

"O controle estrangeiro limitado a 50 por cento é a luz vermelha que não devemos cruzar pois precisamos proteger nossas marcas chinesas", disse Dong em um comunicado publicado no website da CAAM. O comunicado tinha data de segunda-feira.

"De outro ponto de vista, as restrições atuais não reduziram nem um pouco o entusiasmo de montadoras globais para investir na China, então por que devemos ser mais abertos?"

A oposição da CAAM vem após indícios de vários políticos chineses de que estão considerando o relaxamento de regras sobre o investimento estrangeiro no setor automotivo do país.

O ministério do Comércio disse em uma coletiva de imprensa em Pequim, no mês passado, que o governo provavelmente relaxará restrições sobre investimento estrangeiro em áreas incluindo a fabricação de automóveis.

Além do limite de 50 por cento de controle estrangeiro, a política atual exige que as montadoras estrangeiras montem um centro técnico operado em conjunto na China e que transfiram certas tecnologias para suas parceiras locais.

(Samuel Shen e Norihiko Shirouzu)