Recomposição do IPI de automóveis em janeiro não será integral--Mantega

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013 19:46 BRST
 

Por Tiago Pariz

SÃO PAULO, 5 Dez (Reuters) - A redução da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que incide sobre automóveis terá de ser revista em janeiro, mas a recomposição do imposto não será total, afirmou nesta quinta-feira o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

"Teremos que rever em janeiro o IPI dos automóveis, mas a recomposição do imposto certamente não será total", afirmou o ministro a jornalistas após evento do JPMorgan em São Paulo.

Após promover forte redução no IPI para veículos automotivos com o objetivo de estimular a economia atráves do consumo, o governo decidiu a partir deste ano elevar gradualmente a alíquota do tributo diante da dificuldade de arrecadação de receita.

Havia expectativa de que a partir de janeiro o IPI voltasse aos percentuais originais, mas Mantega descartou essa possibilidade, dizendo que isso traria grande impacto ao setor automotivo.

A decisão indica preocupação com um setor importante da economia no próximo ano, mas Mantega acredita que em 2014 a atividade econômica, de maneira geral, terá um desempenho superior a 2013, mesmo diante das turbulências pela redução do estímulos do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos.

O Fed vem injetando mensalmente 85 bilhões de dólares na economia norte-americana, com um programa de compra de títulos de dívida.

"A redução (dos estímulos dos EUA) acontecerá apenas ano que vem. Não acredito que aconteça esse ano ainda", disse Mantega, acrescentando que o mercado já precificou o corte no estímulo e que qualquer turbulência adicional será pontual no momento em que ocorrer a decisão.

Por isso, Mantega acredita que o mais importante é a recuperação da maior economia do mundo, que contribuirá para elevar o desempenho da atividade brasileira.   Continuação...