Fifa libera R$47 mi para geradores e diz que estruturas temporárias da Copa preocupam

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014 19:02 BRT
 

Por Tatiana Ramil

FLORIANÓPOLIS, 18 Fev (Reuters) - Preocupada com o impasse sobre quem vai arcar com os custos das estruturas temporárias nos estádios para a Copa do Mundo, a Fifa aceitou pagar 47 milhões de reais por geradores de energia para a transmissão de TV, reduzindo o investimento das cidades-sede em estruturas complementares.

As instalações temporárias são consideradas fundamentais para o torneio, com estruturas para as áreas de tecnologia, segurança e para a imprensa.

"O que temíamos era não dispor da energia. Não há Copa sem energia. Nós intervimos porque era a melhor maneira para a transmissão dos jogos, e assim não haveria problemas às vésperas do torneio", disse nesta terça-feira o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, a jornalistas em Florianópolis, onde ocorre um seminário com as 32 seleções do Mundial.

Mas a Fifa não vai intervir na disputa entre cidades-sede e o Comitê Organizador Local (COL) sobre o pagamento das estruturas temporárias. Em Porto Alegre, por exemplo, o dono do estádio, o Internacional, disse na semana passada que não vai pagar e, após uma reunião na segunda-feira, o clube, o governo do Estado e a prefeitura se comprometeram a apresentar uma solução até quinta-feira.

"Nós já dissemos claramente, é um acordo das cidades-sede com o COL. Na vida, quando se tem um compromisso, tem que cumprir. Esperamos que elas (cidades) cumpram", afirmou Valcke.

O estádio Beira-Rio será entregue na quinta-feira, com presença da presidente Dilma Rousseff. Após a inauguração, restarão quatro dos 12 estádios a ficar prontos para o Mundial, estourando o prazo da Fifa, que era dezembro do ano passado.

Mesmo com os problemas de atrasos e polêmicas sobre financiamentos, o secretário-executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, disse não acreditar que a imagem do Brasil esteja arranhada no exterior.

"Vão ser 12 estádios bonitos, modernos e confortáveis, que não existiam antes com esse padrão de qualidade. Essa vai ser a imagem do Brasil", disse.   Continuação...