ArcelorMittal decide produzir aço de alta resistência no Brasil em 2015

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014 15:42 BRT
 

SÃO PAULO, 25 Fev (Reuters) - A ArcelorMittal decidiu iniciar a produção no Brasil de um aço de alta resistência voltado à indústria automotiva a partir de meados de 2015, incentivada pela demanda a ser gerada por novas plataformas mais leves de veículos em implantação no país.

A companhia vai investir 15 milhões de dólares para adequar uma das linhas de produção da usina de galvanização Vega, em São Francisco do Sul (SC). A linha tem capacidade para 400 mil toneladas anuais e a expectativa da empresa é que o novo aço, chamado de Usibor, vai ocupar cerca de 100 mil toneladas dessa capacidade, disse o gerente geral de vendas para mercado automotivo da ArcelorMittal Tubarão, André Munari.

Atualmente a empresa traz o produto para o Brasil da Europa, mas Munari afirmou que cenário cambial menos favorável para importações não foi fator decisivo para a escolha pela produção local.

"A questão de fazer localmente já estava encaminhada antes dessa desvalorização do real. Fizemos demonstrações do produto em 2010 e 2011" no Brasil, afirmou. Em abril passado, o executivo havia informado que a ArcelorMittal planejava iniciar a produção do Usibor no Brasil a partir deste ano.

O produto tem revestimento de alumínio-silício e integra um conjunto de tecnologias em aços especiais de alta resistência da companhia que pode reduzir o peso de um veículo em 20 por cento, segundo a ArcelorMittal.

Munari afirmou que a companhia ainda não sentiu efeitos em pedidos de montadoras de veículos impactadas por dificuldades de exportação para a Argentina, país que vive uma crise cambial e que é destino de três quartos das vendas externas do setor automotivo brasileiro.

A produção de veículos do Brasil caiu 18,7 por cento em janeiro sobre um ano antes, enquanto as exportações tombaram 29 por cento, segundo dados da associação de montadoras, Anfavea, divulgados mais cedo neste mês.

"As plataformas (de veículos) que lá são produzidas demandam uma categoria de aço que não é produzida na Argentina. Para as montadoras continuarem produzindo esses modelos de veículos no país vão precisar importar", disse Munari. "Uma solução vai ter que ser encontrada entre o governo argentino e as montadoras", afirmou.

Ele afirmou que a ArcelorMittal fechou em janeiro acordos para aumento de preços de aço vendido às montadoras no Brasil, mas não deu detalhes.

(Por Alberto Alerigi Jr.)