Marinha líbia ataca navio com petróleo de porto rebelde; premiê é deposto

terça-feira, 11 de março de 2014 16:41 BRT
 

Por Ulf Laessing e Ayman al-Warfalli

TRÍPOLI/ES SIDER, Líbia, 11 Mar (Reuters) - A Marinha líbia abriu fogo nesta terça-feira contra um navio-tanque que partia com petróleo de um porto dominado por rebeldes no sul do país, e embarcações italianas estão ajudando a proteger o navio agora estacionário, disse um porta-voz dos militares da Líbia.

O Parlamento local depôs o primeiro-ministro Ali Zeidan no início da terça, depois de o navio-tanque ter escapado das forças do governo, relataram autoridades.

A saída de Zeidan aprofunda o caos no país norte-africano e membro da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), onde o governo tem sofrido para conter as milícias que ajudaram a depor Muammar Gaddafi em 2011 e agora desafiam a autoridade.

Zeidan, um liberal enfraquecido por meses de disputas internas com islamistas, será substituído temporariamente pelo ministro da Defesa, Abdallah al-Thinni, disse o porta-voz parlamentar Omar Hmeidan aos repórteres.

Os parlamentares disseram ter recusado um voto de confiança ao premiê depois que o navio-tanque conseguiu partir do porto de Es Sider carregado de petróleo e seguiu para águas internacionais.

O navio estava mais ao leste de Es Sider quando foi atacado, disse Walid al-Tarhouni, porta-voz da força de segurança do petróleo da Líbia, à TV Al-Nabaa, acrescentando que a princípio o navio partiu com tempo ruim.

No final da segunda-feira, Zeidan disse, em entrevista à Reuters, que a Marinha e milícias aliadas haviam detido o navio e o estavam escoltando a um porto controlado pelo governo no oeste líbio.

Há meses ele enfrentava uma oposição crescente dos islamistas e do público em geral, que o culpam pela transição acidentada da Líbia desde a revolta de 2011, que teve apoio da Otan.   Continuação...