Austrália diz que novos sinais eletrônicos são melhor pista em busca por avião da Malásia

segunda-feira, 7 de abril de 2014 10:25 BRT
 

Por Jane Wardell e Swati Pandey

SYDNEY/PERTH, Austrália, 7 Abr (Reuters) - Um navio australiano que busca um avião da Malásia desaparecido há quase um mês recebeu sinais consistentes com os que são disparados por caixas-pretas, no que as equipes de buscas disseram nesta segunda-feira ser a pista mais promissora desde o início da operação.

Um equipamento rebocável da Marinha dos EUA, levado por uma embarcação australiana, colheu os sinais eletrônicos num ponto cerca de 1.680 quilômetros a noroeste de Perth, que já havia sido indicado em uma análise de dados por satélite como sendo o local mais provável da queda do Boeing 777 da Malaysia Airlines, em 8 de março.

"Estou muito mais otimista do que há uma semana", disse Angus Houston, diretor da agência australiana que coordena as buscas, em entrevista coletiva em Perth. Ele alertou, no entanto, que uma confirmação só virá com a descoberta dos destroços.

"Estamos agora numa área de buscas muito bem definida, o que tomara que afinal gere as informações de que precisamos para dizer que o MH370 pode ter entrado na água bem aqui."

Se os sinais puderem ser captados com mais precisão, um submarino autônomo chamado Bluefin 21 será acionado para localizar os destroços no leito marinho, disse Houston, segundo quem a área de buscas tem profundidade de 4.500 metros, que é justamente o alcance do Bluefin.

As caixas-pretas, que contém dados técnicos do voo e gravações da cabine de comando, podem explicar por que o Boeing 777 da Malaysia Airlines abandonou sua rota no voo Kuala Lumpur-Pequim, cerca de uma hora depois da decolagem, e começou a voar em outra direção, com os instrumentos de localização desligados.

As autoridades não descartam uma falha mecânica, mas dizem que há indícios de sabotagem - como a falta de comunicações. Havia 227 passageiros e 12 tripulantes a bordo.

Mesmo no fundo do mar, as caixas-pretas emitem sinais eletrônicos de localização, mas suas baterias já devem estar se esgotando.

Uma segunda área de buscas, a mais de 300 milhas náuticas da primeira, também está sendo mantida, onde um navio chinês também detectou sinais eletrônicos no fim de semana.

(Reportagem adicional de Lincoln Feast, em Sydney, e Anuradha Raghu, em Kuala Lumpur)

 
Angus Houston, chefe da agência australiana que cordena as buscas pelo avião da Malysia Airlines desaparecido, fala durante coletiva de imprensa em Perth, na Austrália. Um navio australiano que busca um avião da Malásia desaparecido há quase um mês recebeu sinais consistentes com os que são disparados por caixas-pretas, no que as equipes de buscas disseram nesta segunda-feira ser a pista mais promissora desde o início da operação. 7/04/2014. REUTERS/Richard Polden