Uruguaio Suárez é motivado pela vontade de vencer a qualquer custo

quinta-feira, 8 de maio de 2014 12:59 BRT
 

Por Toby Davis

LONDRES, 8 Mai (Reuters) - Repleta de um brilhantismo decisivo e controvérsias, a atuação do atacante uruguaio Luis Suárez na última Copa do Mundo foi um microcosmo do que tem sido sua carreira.

No intervalo de poucas semanas na África do Sul em 2010, ele construiu uma reputação de artilheiro perspicaz, ao mesmo tempo em que entrou para o rol da infâmia daquele Mundial por ter usado a mão para impedir o gol que teria levado Gana a uma vaga na semifinal.

É um padrão de comportamento que tem se repetido ao longo da carreira do jogador uruguaio, cujos momentos de alta proporcionam espetáculos de habilidade e engenhosidade que o catapultaram à estratosfera da elite do mundo da bola.

Os momentos mais baixos, no entanto, são os que acabaram por defini-lo como jogador e pessoa, e incluem duas longas suspensões por morder adversários e uma por racismo, além de uma reputação de simular faltas da qual Suárez não consegue se desfazer, por mais que tente.

A abundante qualidade do atacante nunca esteve em dúvida. Ele possui uma habilidade única de projetar as jogadas, passar no corpo a corpo com os zagueiros e finalizar com precisão, sem falar em uma tendência ao extraordinário.

Tais virtudes podem ser letais quando combinadas a um temperamento competitivo e uma saudável aversão à derrota, o que dá a Suárez um rendimento quase sem comparação.

"Sou um dos melhores jogadores do mundo, então ter a chance de vencer tudo --e perder somente de vez em quando-- é o que me motiva", disse ele à revista britânica Four Four Two no início deste ano. "Sou ambicioso. Quero vencer e não vou parar até marcar um, dois ou mais gols."

Ele vai ao Brasil em meio à sua melhor forma no Liverpool, onde seus gols tem desempenhado papel-chave para uma inesperada briga pelo título inglês.   Continuação...