11 de Janeiro de 2010 / às 19:44 / em 8 anos

Governo reduz mistura de etanol na gasolina para 20%

<p>Governo reduziu mistura de etanol na gasolina para 20% (foto de arquivo). REUTERS/Sergio Moraes</p>

RIO DE JANEIRO/BRASÍLIA (Reuters) - O governo anunciou nesta segunda-feira a redução temporária da mistura do etanol anidro na gasolina, de 25 para 20 por cento, para tentar evitar um problema de abastecimento e amenizar a disparada de preços, de acordo com o Ministério das Minas e Energia.

A nova mistura, que terá validade de 90 dias, entra em vigor em 1o de fevereiro, segundo o ministério.

“O que não queremos é que haja desabastecimento... Como estamos economizando álcool, a tendência é de que não haja aumento de preço”, afirmou o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, a jornalistas no início da noite.

Com a redução no consumo de etanol anidro, em função da mistura menor, o governo espera que aumente a oferta de etanol hidratado, utilizado pelos carros flex, cuja frota em crescimento tem elevado o consumo do biocombustível no país.

A conversão de etanol anidro para hidratado, pela adição da água, é tecnicamente simples para a indústria.

A decisão desta segunda-feira veio após o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, um dos que assinaram a portaria que determina a mudança, ter tido na semana passada que o governo provavelmente alteraria a mistura.

Os preços registram uma escalada no mercado interno no momento da entressafra de cana-de-açúcar, após o consumo do biocombustível ter crescido fortemente no ano passado em meio a problemas climáticos no centro-sul brasileiro, que resultaram uma safra menor do que a esperada.

Segundo o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq-USP, o preço do etanol anidro em São Paulo atingiu 1,2591 real por litro (a retirar na usina e desconsiderando impostos), na semana passada. Esse é o maior valor (em termos reais, considerando a inflação) desde abril de 2006.

Na comparação com o início da última safra, em abril de 2009, o preço do etanol anidro quase dobrou, segundo o Cepea, que apontou também que os preços baixos do produto na maior parte da safra, incluindo o do etanol hidratado (usado em carros flex) acabaram impulsionando o consumo, reduzindo a disponibilidade na entressafra.

A decisão do governo foi tomada apesar de a indústria avaliar que o impacto da medida seria pequeno.

A redução de cinco pontos percentuais na mistura pode resultar em uma oferta adicional de etanol hidratado de 100 milhões de litros por mês, segundo a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

LOBÃO

O ministro confirmou que a medida resultará em uma economia mensal de 100 milhões de litros de etanol e disse que, no ano, seriam economizados “1,2 bilhão litros”.

A propósito, o ministro foi questionado se o governo teria a intenção de prorrogar a medida, mas desconversou.

Admitiu, entretanto, que o Executivo pode “suspender ou prorrogar a medida por mais um, dois ou três meses, se isso for necessário”.

Reportagem de Denise Luna no Rio de Janeiro e de Maria Carolina Marcello e Natuza Nery em Brasília

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below