21 de Novembro de 2012 / às 14:47 / 5 anos atrás

Secretário de Segurança de SP pede demissão após aumento na violência

Soldados da polícia revistam morador da favela de Brasilândia durante operação de segurança, em São Paulo. O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, pediu demissão do cargo e será substituído pelo ex-procurador-geral do Estado Fernando Grella, informou o governo estadual. 09/11/2012Nacho Doce

SÃO PAULO, 21 Nov (Reuters) - O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, pediu demissão do cargo e será substituído pelo ex-procurador-geral do Estado Fernando Grella, informou o governo estadual nesta quarta-feira.

A demissão de Ferreira Pinto acontece num momento em que o Estado vive uma onda de violência, principalmente na região metropolitana, e depois de uma divergência pública com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, sobre a oferta de ajuda federal a São Paulo para combater o crime organizado.

Entre janeiro e setembro deste ano, 959 pessoas foram mortas em casos de homicídio doloso, quando há intenção de matar, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública. O número representa um aumento de 20,7 por cento na comparação com o mesmo período de 2011.

A secretaria ainda não divulgou o dado referente a outubro nem o número parcial de novembro, dois meses em que foram registradas uma série de mortes, principalmente em chacinas, na Grande São Paulo.

De acordo com a secretaria, entre os mortos desde o começo do ano no Estado estão 93 policiais militares. A série de assassinatos de policiais é uma aparente ação de uma facção criminosa que atua em São Paulo que tem PMs como alvo.

"O novo secretário vai colocar todo empenho para garantir a segurança em São Paulo, proteger a população e combater o crime organizado e não organizado de todas as formas", disse O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), segundo nota da assessoria de imprensa do governo.

"Reconhecemos as dificuldades pelas quais estamos passando e vamos nos empenhar de forma redobrada neste trabalho", acrescentou o governador, que agradeceu o trabalho de Ferreira Pinto à frente da secretaria.

O agora ex-secretário trocou farpas com o ministro da Justiça em outubro, depois de afirmar que o governo federal não tinha oferecido ajuda ao Estado no combate ao crime organizado.

O Ministério da Justiça divulgou uma nota oficial rebatendo o então secretário e, após o episódio, a presidente Dilma Rousseff telefonou para Alckmin para oferecer ajuda federal ao Estado, que foi aceita.

Como resultado da cooperação, Cardozo e Alckmin anunciaram no início do mês a criação de uma agência para combater o crime organizado e a transferência de líderes de uma facção criminosa presos no Estado para presídios federais fora de São Paulo.

O pedido de demissão de Ferreira Pinto acontece também um dia depois de o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, ter comparado a violência em São Paulo com o conflito entre israelenses e palestinos na Faixa de Gaza.

Carvalho disse que em um dia em São Paulo mais pessoas são mortas do que em um dia no conflito no Oriente Médio. Questionado sobre o comentário, Alckmin classificou a comparação como "infeliz".

Reportagem de Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below