Valério afirma que Lula autorizou empréstimos para mensalão, diz jornal

terça-feira, 11 de dezembro de 2012 11:17 BRST
 

11 Dez (Reuters) - O empresário Marcos Valério, apontado como operador do mensalão e condenado a 40 anos de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), disse que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva autorizou os empréstimos bancários ao PT que seriam utilizados no esquema de compra de apoio de parlamentares da base aliada, o chamado mensalão, segundo reportagem do jornal Estado de S. Paulo desta terça-feira.

Valério disse em depoimento prestado em setembro à Procuradoria-Geral da República, que o jornal disse que teve acesso na íntegra, que Lula deu "ok" aos empréstimos numa reunião no Palácio do Planalto junto com o então ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, e o tesoureiro do PT à época, Delúbio Soares. Dirceu e Delúbio também fora condenados pelo STF por envolvimento no esquema.

O depoimento de Valério à Procuradoria aconteceu após o empresário ter sido condenado pelo STF pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

O jornal diz que Valério decidiu prestar o depoimento buscando, em troca, proteção e redução da pena.

No depoimento, Valério afirmou ainda que repassou dinheiro para o pagamento de "gastos pessoais" de Lula em 2003, durante seu primeiro mandato na Presidência, de acordo com o jornal.

Segundo Valério, foram feitos dois repasses, um deles de aproximadamente 100 mil reais, depositados na conta de uma empresa do ex-assessor da Presidência Freud Godoy, disse o jornal.

O Estado de S. Paulo informou que o Instituto Lula não se manifestou sobre a acusação de Valério. O advogado de José Dirceu, José Luís Oliveira Lima, disse ao jornal que a nova declaração de Marcos Valério "não tem qualquer procedência".

Segundo o STF, o mensalão foi um esquema de desvio de recursos para compra de apoio da base aliada no Congresso ao governo. O caso veio à tona em 2005 e provocou a pior crise política do governo do ex-presidente Lula.

O jornal disse que o Ministério Público e o próprio STF decidiram tratar as novas acusações do empresário com cautela. Segundo o Estado de S. Paulo, ministros do STF teriam afirmado que a versão de Valério poderia enfraquecer a tese consagrada pela corte de que Dirceu era o chefe do esquema.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)