Dilma vai ao México em 2013 para buscar reaproximação

terça-feira, 18 de dezembro de 2012 17:45 BRST
 

Por Esteban Israel

SÃO PAULO, 18 Dez (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff deve visitar o México no início de 2013, segundo uma fonte do governo, aproveitando a boa sintonia com o recém-empossado colega Enrique Peña Nieto para relançar a desgastada relação entre as duas maiores economias latino-americanas.

O catalisador para isso seria a Petrobras, citada por Peña Nieto como modelo para a modernização da estatal petrolífera mexicana Pemex.

Executivos da Pemex devem vir ao Brasil para conhecer a Petrobras, disse à Reuters um funcionário de alto escalão brasileiro, no que seria o primeiro passo de uma colaboração discutida em setembro durante uma visita de Peña Nieto a Brasília, antes de assumir o cargo.

"Peña Nieto causou muito boa impressão em Brasília", disse a fonte próxima a Dilma, pedindo anonimato. "A presidente irá ao México no começo de 2013, provavelmente em março", acrescentou.

As relações Brasil-México esfriaram no começo de 2012, quando o Brasil impôs cotas às importações de veículos mexicanos para tentar conter seu déficit no comércio bilateral.

A reaproximação se torna vantajosa para o Brasil num momento em que o país tenta acelerar seu crescimento econômico, que deve ficar em torno de apenas 1 por cento em 2012, e vê uma crise na sua relação comercial com a Argentina, principal mercado para a indústria brasileira.

Por isso, o Brasil está baixando o tom do seu protecionismo com o México. Reservadamente, funcionários do governo Dilma admitem estar dispostos a discutir uma ampliação das cotas de veículos, como antecipou a Reuters em setembro.

Mas o gesto obedece também a razões práticas. As cotas não resolveram o déficit comercial com o México, que bateu um recorde de 1,785 bilhão de dólares nos primeiros dez meses de 2012, puxado pela voraz demanda brasileira por veículos caros, como o Ford Fusion usado por Dilma.   Continuação...