BRASIL 13/14-Estratégia de manter dólar acima de R$2 ajuda crescimento

domingo, 23 de dezembro de 2012 13:33 BRST
 

(A Reuters publica uma série de matérias especiais sobre as perspectivas para o Brasil em 2013 e 2014)

Por Natália Cacioli e Luciana Otoni

SÃO PAULO/BRASÍLIA, 23 Dez (Reuters) - A mão forte do governo Dilma continuará sobre o câmbio nos próximos dois anos, numa estratégia considerada correta --apesar de arriscada-- para garantir um patamar adequado ao crescimento da economia brasileira.

Agentes econômicos e fontes dentro do governo avaliam que a faixa de 2 a 2,10 reais para a moeda norte-americana está favorecendo o setor exportador brasileiro sem prejudicar as empresas dependentes de importações ou criar pressões inflacionárias. Além disso, a estabilidade do câmbio nesse nível tem o potencial de incentivar planos de investimento.

"O dólar não foi para uma patamar ideal, mas está bem melhor do que antes", avaliou o presidente da Associação dos Exportadores Brasileiros (AEB), José Augusto de Castro.

De acordo com importante integrante da equipe econômica, o dólar acima de 2 reais ajuda a impulsionar a economia, ampliando a competitividade da indústria e dos produtos exportados.

"Aos poucos, veremos o efeito disso na exportação, essa é nossa estratégia. Entendo que estamos em patamar mais favorável no câmbio", disse a fonte sob a condição de anonimato.

A balança comercial do país nos dois primeiros anos do governo Dilma reflete a desaceleração da demanda mundial, afetada pela crise internacional, e a dificuldade dos exportadores em manter a competitividade.

Neste ano, os resultados serão modestos, com o governo projetando queda de 5 por cento nas exportações --na comparação com os 256 bilhões de dólares do ano passado--, o primeiro recuo desde 2009.   Continuação...

 
Um brasileiro troca reais por dólares em uma casa de câmbio no centro do Rio de Janeiro. 4/08/2003 REUTERS/Bruno Domingos