Disputa por liderança da bancada gera divisão do PMDB na Câmara

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013 19:20 BRST
 

Por Jeferson Ribeiro

BRASÍLIA, 18 Jan (Reuters) - A disputa pelo comando da liderança do PMDB na Câmara dos Deputados evidenciou a divisão da bancada do partido na Casa, uma faceta menos visível nos dois primeiros anos do governo Dilma Rousseff.

Três deputados --Sandro Mabel (GO), Eduardo Cunha (RJ) e Osmar Terra (RS)-- concorrem ao cargo de líder da bancada, ocupado atualmente pelo deputado Henrique Eduardo Alves (RN), que disputa a presidência da Câmara.

A divisão é acompanhada de perto pela cúpula do partido, em especial pelo vice-presidente da República Michel Temer, que tenta a todo custo evitar que, após o resultado, as forças derrotadas formem blocos independentes, causando transtornos para o governo no Congresso.

Desde a semana passada, Temer reuniu-se com todos os candidatos e outros peemedebistas influentes e deu um recado claro. "A divisão da bancada não traz resultados para ninguém e o prejuízo é dividido por todos", relatou um membro do partido à Reuters sob condição de anonimato.

Neste momento, porém, pregar a união parece ineficaz, pois os três postulantes estão em busca de votos e para isso não têm poupado ataques e prometido que tornarão a bancada mais independente do governo do que na gestão de Alves.

Os três candidatos dizem ter votos para chegar ao segundo turno da disputa, mas evitam declarar que serão vitoriosos. E como a votação marcada para 3 de fevereiro, um domingo, será secreta, há deputados prometendo o voto para os três candidatos.

Segundo o peemedebista ouvido pela Reuters, não há como apontar um favorito na disputa por enquanto.

RELAÇÃO COM O PLANALTO   Continuação...