ENTREVISTA-Colômbia prevê renovar maioria de seus cafezais até 2016

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013 19:14 BRST
 

Por Luis Jaime Acosta

BOGOTÁ, 21 Jan (Reuters) - A Colômbia espera ter a maioria dos seus cafezais renovados com variedades resistentes a doenças até 2016, o que poderá permitir ao país elevar gradativamente a sua produção, disse o diretor da federação dos produtores à Reuters nesta segunda-feira.

O país, grande produtor de café arábica de alta qualidade, sofreu nos últimos anos com o clima adverso e as doenças que atingiram a produção, ao mesmo tempo em que seu programa de renovação tirou algumas plantas da produção.

No ano passado, a produção de café da Colômbia atingiu a mínima de três décadas, com 7,73 milhões de sacas, comparadas com as médias históricas de 11 milhões de sacas, impulsionando os preços globais.

Luis Genaro Muñoz, diretor executivo da Confederação Nacional dos Cafeicultores, disse em entrevista que os produtores buscam ter um cafezal na Colômbia que seja mais "tecnificado, novo e resistente às mudanças do clima" em 2016.

"Como consequência, nós vamos crescer em produtividade e em produção... e se o mercado permitir isso, porque não expandir áreas para mais de um milhão de hectares para atingir 18 milhões de sacas?", disse ele.

A Colômbia atualmente tem 930 mil hectares cultivados com cafezais com pés de café, dos quais 45 por cento já foram renovados com variedades resistentes a fungos.

Muñoz Disse que até 2016 o programa de renovação deve estar cerca de 90 por cento completo.

Um dos grandes exportadores globais de café, o país viu a produção despencar em anos recentes por causa de chuvas torrenciais que frustraram a florada e levaram ao aumento das doenças nos cafezais.   Continuação...