January 28, 2013 / 1:57 PM / in 4 years

Membros de banda e donos de boate no RS são detidos

3 Min, DE LEITURA

Flores são colocadas por moradores na fachada da boate Kiss, onde ocorreu um incêndio que matou pelo menos 231 pessoas, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. 27/01/2013Ricardo Moraes

Por Ana Flor

SANTA MARIA, 28 Jan (Reuters) - Os dois proprietários da boate Kiss, que pegou fogo na cidade gaúcha de Santa Maria, matando 231 pessoas, e dois integrantes da banda que fazia o show na madrugada de domingo tiveram prisão temporária decretada e estão detidos para prestar esclarecimentos sobre a tragédia.

Três já haviam sido detidos mais cedo, e a quarta pessoa --um dos empresários-- se apresentou às autoridades na tarde desta segunda-feira. A Polícia Civil decidiu não divulgar os nomes porque considera que a prisão não é para responsabilizar os detidos, mas para auxiliar nas investigações.

A prisão de apenas dois integrantes da banda, originalmente formada por seis integrantes, deve-se a suspeitas de que um deles seria o responsável por lançar o sinalizador, cujas faíscas teriam iniciado o fogo. O grupo Gurizada Fandangueira contava com seis integrantes, um deles morreu na tragédia.

Um dos presos está internado em uma clínica na cidade de Cruz Alta por causa da fumaça. O Ministério Público gaúcho confirmou à Reuters que os detidos seriam integrantes da banda e empresários do estabelecimento. A prisão é por cinco dias, prorrogáveis por mais cinco.

O chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, delegado Ranolfo Vieira Jr., disse que a prisão temporária é indispensável para a investigação criminal.

"A prisão temporária é indispensável à investigação, mas não está revestida de material comprobatório (da responsabilidade dos detidos)", disse.

A maioria das vítimas, jovens universitários, morreu por asfixia devido à fumaça tóxica que tomou conta da boate na madrugada de domingo, quando o fogo consumiu o revestimento acústico que estava no teto da casa.

Segundo o delegado Sandro Meinerz, já há depoimentos suficientes para comprovar que o fogo foi provocado por um artefato pirotécnico.

"Queremos que este seja um inquérito exemplar", disse o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), a jornalistas. "Que traga, se for o caso, modificações legislativas", acrescentou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below