Novo presidente da Câmara promete Legislativo independente e ágil

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013 19:31 BRST
 

Por Jeferson Ribeiro e Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA, 4 Fev (Reuters) - O deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) assumiu nesta segunda-feira o comando da Câmara dos Deputados prometendo lutar para que o Poder Legislativo seja menos dependente do Executivo e do Judiciário, e tornar obrigatória a liberação das emendas parlamentares.

O peemedebista, que foi eleito com 271 votos e apoio do governo e do PT, disse ainda que pretende agilizar a tramitação das matérias na Câmara.

"O Parlamento não foi feito para empurrar com a barriga, enrolar, foi feito para decidir, discutir e votar... é isso que a gente quer para esse Parlamento, vida", disse em seu discurso.

"Os outros Poderes, com todo o respeito... mas o Poder que representa o povo brasileiro na sua mais sincera legitimidade, queiram ou não queiram, é esta Casa aqui, é o Legislativo, é o Parlamento brasileiro", afirmou o peemedebista, que derrotou os colegas Júlio Delgado (PSB-MG), Rose de Freitas (PMDB-ES) e Chico Alencar (PSOL-RJ) na disputa pela presidência da Câmara.

Desde 2007, o PT tem acordo com o PMDB o revezamento no comando da Casa. Esse acordo foi fundamental para pavimentar a vitória do peemedebista, que nos últimos dias temeu a possibilidade de ter que enfrentar a disputa no segundo turno pela presidência.

O placar desta segunda-feira mostrou que essa hipótese era possível. Delgado obteve 165 votos, seguido por Rose (47 votos) e Alencar (11 votos), totalizando 223 parlamentares.

Pouco antes da votação, Alves também foi vítima de um dossiê apócrifo distribuído aos deputados, que reunia denúncias publicadas na mídia contra ele.

"Isso era uma coisa menor", disse a jornalistas. "Eu tenho formação democrática suficiente para compreender e perdoar."   Continuação...

 
O deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB) reage ao ser cumprimentado por outros deputados após ser eleito o novo presidente da Câmara dos Deputados, em Brasília. 4/02/2013 REUTERS/Ueslei Marcelino