Banco do Brasil tem lucro acima do esperado no 4o tri

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013 09:02 BRT
 

SÃO PAULO, 21 Fev (Reuters) - O Banco do Brasil fechou o quarto trimestre de 2012 com lucro líquido recorrente acima do esperado pelo mercado, impulsionado por um crescimento de dois dígitos em sua carteira de crédito e queda na inadimplência.

A maior instituição financeira da América Latina por ativos teve lucro recorrente de 3,18 bilhões de reais nos três últimos meses do ano passado, crescimento de 5,1 por cento sobre o mesmo período de 2011 e de 19,7 por cento sobre o terceiro trimestre. Analistas consultados pela Reuters estimavam resultado recorrente possitivo em 2,464 bilhões de reais.

A carteira de crédito ampliada do Banco do Brasil, incluindo operações no exterior, cresceu 24,9 por cento em 2012, para 580,799 bilhões de reais. No Brasil, a carteira do banco terminou o ano passado em 534,367 bilhões de reais, avanço de 24,2 por cento, acima da expectativa da instituição, de crescimento de 17 a 21 por cento.

O governo pressionou os bancos estatais a aumentarem a oferta de crédito e a baixar os juros para incentivar o consumo no ano passado, em meio à desaceleração da economia e à queda da Selic.

Na terça-feira, a Caixa Econômica Federal anuciou que sua carteira cresceu 41,8 por cento no ano passado, avanço quase cinco vezes maior do que a taxa média de seus principais concorrentes privados --Itaú Unibanco, Bradesco e Santander Brasil .

Para 2013, a expectativa do BB é de crescimento de 16 a 20 por cento na carteira de crédito ampliada no país.

Em termos consolidados, o lucro líquido do banco somou 3,967 bilhões de reais, crescimento de 33,5 por cento sobre o mesmo período de 2011.

A instituição apurou índice de inadimplência de operações vencidas há mais de 90 dias de 2,05 por cento, queda ante o nível de 2,16 por cento registrado no quarto trimestre de 2011 e na comparação com os 2,19 por cento apurados entre julho e setembro.

Já as provisões para perdas com crédito, de 3,636 bilhões de reais, cresceram 25,7 por cento sobre o quarto trimestre de 2011, "variação compatível com o crescimento da carteira de crédito", segundo o balanço do BB. Na comparação com o terceiro trimestre houve queda de 3,4 por cento.   Continuação...