Embratur mostra preocupação com tarifas de hotéis e vê oportunismo

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 19:15 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 25 Fev (Reuters) - A Embratur está preocupada com o preços das tarifas dos hotéis de cidades que sediarão eventos esportivos no país nos próximos anos e vê oportunismo de alguns empresários que praticam preços acima do normal, disse nesta segunda-feira o presidente interino do órgão Paulo Guilherme de Araújo.

"Hoje, as tarifas da rede hoteleira estão fora do razoável... na final do Mundial da Alemanha, a diária foi perto de 300 dólares e aqui está 70 por cento acima disso", disse ele a jornalistas. "A Europa mesmo em crise é cara e como nós estamos mais caros que ela? Isso não pode!", acrescentou o executivo.

Representantes da Embratur, do Ministério do Turismo --entre eles o titular da pasta Gastão Vieira-- e da rede hoteleira se reuniram nesta segunda-feira para discutir os preços dos hotéis no país.

Um Observatório Turístico foi criado para monitorar os preços das tarifas cobradas pela rede hoteleira e se os preços não cederem, órgãos de defesa da concorrência, como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) poderá ser acionado, segundo Araújo.

"A rede hoteleira prometeu abrir as planilhas para nós. Vamos monitorar de seis em seis meses. Se continuar podemos usar a força coercitiva do Estado, como o departamento de defesa do consumidor do Ministério da Justiça ou o próprio Cade", disse.

A insatisfação de membros do governo com os preços se torna ainda maior porque o setor hoteleiro foi beneficiado com um desoneração tributária, mas não houve repasse para os preços, na avaliação de integrantes do Executivo.

"A lógica da queda de preços não está acontecendo", disse ele.

Um levantamento feito por uma consultoria mostra que atualmente os preços cobrados pelos hotéis nos 10 principais destinos do país, que incluem as seis cidades-sede da Copa das Confederações, revelam que o preço médio praticado é 70 por cento acima da final da Copa da Alemanha, entre Itália e França, em 2006

A Embratur e o Ministério do Turismo não revelaram a gordura que existiria nos preços da rede hoteleira e qual seria a tarifa ideal ou aceitável.   Continuação...