ENTREVISTA-Soja brasileira ganha qualidade, mas logística piora

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013 20:16 BRT
 

Por Peter Murphy

BRASÍLIA, 26 Fev (Reuters) - A qualidade da soja brasileira está melhorando com a trégua das chuvas que interromperam o início da colheita, mas há uma crescente preocupação com as longas filas para exportar o produto pelos congestionados portos do país, disse nesta quarta-feira o presidente da associação nacional de produtos de soja.

O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) estima que pela primeira vez a safra de soja do Brasil será superior à dos EUA, com 83,5 milhões de toneladas, contra 82 milhões de toneladas anteriormente, sobrecarregando a infraestrutura de transportes até seu limite.

As chuvas no início da colheita em janeiro reduziram o escoamento da soja do Mato Grosso e muitos grãos colhidos no começo da safra estão sendo vendidos com desconto por causa dos danos causados pela umidade, segundo Glauber Silveira, presidente da Aprosoja Brasil.

"O Mato Grosso já está começando a colher grãos de melhor qualidade agora. As chuvas estão diminuindo", disse Silveira, que participou como convidado do Fórum Global Agrícola da Reuters, um chat online para operadores de grãos.

A empresa brasileira de meteorologia Somar prevê mais chuvas nesta semana no Centro-Oeste, mas no começo de março elas se deslocam para o Sul.

A soja com entrega em março encerrou o pregão desta terça-feira na bolsa de Chicago em baixa de 3,5 centavos, cotada a 14,48 dólares por bushel, pressionada pela perspectiva de uma safra mais abundante no Brasil e na Argentina, terceiro maior produtor mundial.

Embora o clima possa ter melhorado para a colheita, Silveira disse que o mesmo não acontece com a logística, já que a escassez de caminhões e os congestionamentos portuários levam a filas de mais de um mês para o embarque, mesmo antes do auge da safra.

"As filas vão piorar..., os custos para o transporte vão sem dúvida continuar subindo", disse Silveira, acrescentando que esse custo irá em grande parte recair sobre as tradings. Ele estimou que os produtores já tenham vendido antecipadamente cerca de 70 por cento da safra, garantindo o preço.   Continuação...