Fitch vê cenário negativo para setor de carnes do Brasil em 2013

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 14:12 BRT
 

SÃO PAULO, 27 Fev (Reuters) - A indústria de proteína animal do Brasil deve enfrentar um cenário desfavorável em 2013, com a volatilidade dos preços de commodities, câmbio e outros fundamentos, apontou a agência de classificação de risco Fitch em relatório nesta quarta-feira.

"Em graus variados, todos os produtores de proteína brasileiros estão expostos a riscos, incluindo preços voláteis de commodities, flutuação cambial desfavorável, potencial surgimento de doenças e embargos regionais à exportação", disse a diretora da Fitch, Viktoria Krane.

A agência também apontou concorrência acirrada neste ano.

"A competição por participação de mercado entre os processadores de carnes com marcas se intensificará em 2013", acrescentou.

Segundo a agência, os custos de ração permanecem relativamente elevados para os produtores de suínos e aves.

As empresas destes segmentos enfrentaram dificuldades no ano passado, quando os preços de grãos dispararam em meio à quebra de safras no Brasil e EUA, sob efeito de clima adverso, puxando custos e estreitando suas margens de lucro.

Por outro lado, as indústrias de carnes bovina, suínas e de frango trabalham com um cenário de incremento nas exportações e melhoras de preços em 2013.

A Fitch ponderou que os processadores de carne bovina do Brasil devem se beneficiar de um ciclo positivo no Brasil, como boa disponibilidade de animais para abate, como já vem apontando a indústria.

A agência ressaltou ainda que perto de 2 bilhões de dólares foram levantados pelas empresas brasileiras de proteína animal em janeiro de 2013, o que deve ajudar a melhorar o perfil da escala de vencimentos.   Continuação...