14 de Janeiro de 2008 / às 10:56 / em 10 anos

"Desejo e Reparação" é eleito melhor filme no Globo de Ouro

<p>Jorge Camara, presidenta da Associa&ccedil;&atilde;o de Imprensa Estrangeira de Hollywood, anuncia 'Desejo e Repara&ccedil;&atilde;o' como vencedor do pr&ecirc;mio de melhor filme do Globo de Ouro, em entrevista coletiva na noite de domingo em Beverly Hills, na Calif&oacute;rnia. Photo by Mario Anzuoni</p>

Por Bob Tourtellotte

BEVERLY HILLS, Estados Unidos (Reuters) - O drama "Desejo e Reparação" e o musical "Sweeney Todd" receberam na noite de domingo os principais prêmios Globo de Ouro, numa edição privada do habitual glamour hollywoodiano devido à greve dos roteiristas.

"Desejo e Reparação", um épico da Segunda Guerra Mundial sobre dois amantes separados por uma traição familiar e pelo conflito na Europa, recebeu também o prêmio de melhor trilha sonora original.

"Sweeney Todd", baseado no bem-sucedido espetáculo sobre um barbeiro em busca de vingança, também levou dois prêmios importantes -- melhor musical e melhor ator em comédia ou musical, para o protagonista Johnny Depp.

Daniel Day-Lewis ("Sangue Negro") e Julie Christie ("Away From Her") foram escolhidos os melhores atores dramáticos. A francesa Marion Cotillard, no papel de Edith Piaf, levou o prêmio de melhor atriz de musical/comédia, por "Piaf".

O Globo de Ouro, concedido pela Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood, é uma importante prévia do Oscar. Mas neste ano o jantar de gala, habitualmente caracterizado por rios de champanhe e muito tapete vermelho, foi bem mais modesto, devido à greve dos cerca de 10,5 mil filiados da Liga dos Roteiristas dos EUA, iniciada em 5 de novembro.

<p>Jorge Camara, presidente da Hollywood Foreign Press Association, anuncia 'Desejo e Repara&ccedil;&atilde;o' como vencedor do Globo de Ouro de melhor filme dram&aacute;tico. 'Desejo e Repara&ccedil;&atilde;o' e o musical 'Sweeney Todd' receberam no domingo os principais pr&ecirc;mios, numa edi&ccedil;&atilde;o sem o glamour hollywoodiano devido &agrave; greve dos roteiristas. Photo by Mario Anzuoni</p>

Os grevistas ameaçavam fazer piquete em frente à cerimônia do Globo, e muitos indicados e apresentadores preferiram ficar de longe da confusão.

Sem estrelas na festa, a rede NBC e a Associação da Imprensa Estrangeira substituíram a habitual gala de três horas por uma entrevista coletiva de apenas 30 minutos, em que vários apresentadores da TV paga leram os nomes dos vencedores.

"É um Globo de Ouro diferente do que estamos acostumados a assistir", comentou Lara Spencer, de "The Insider". "Só quero lembrar que os que estamos anunciando os vencedores não somos grandes estrelas do cinema, caso vocês não tenham reparado", brincou ela.

A entrevista coletiva atraiu 57 emissoras de TV, 125 jornalistas de meios impressos e cerca de 40 fotógrafos, além de executivos da mídia e agentes das celebridades. Mas o clima era de abatimento.

Outros Globos de Ouro foram concedidos a Javier Bardem (ator coadjuvante, por "Onde os Fracos Não Têm Vez") e Cate Blanchett (atriz coadjuvante em "Não Estou Lá", sobre a vida de Bob Dylan).

"O Escafandro e a Borboleta" levou os prêmios de melhor filme em língua estrangeira e melhor direção (Julian Schnabel).

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below