"Exterminador do Futuro" ignora greve e começa filmagens

quinta-feira, 8 de maio de 2008 11:37 BRT
 

Por Sue Zeidler

LOS ANGELES (Reuters) - Com greve ou sem greve, ele está de volta. Começou nesta semana a filmagem de um novo episódio da série "O Exterminador do Futuro", uma produção de 150 milhões de dólares, ameaçada pela temporada de negociações trabalhistas em Hollywood, que pode desencadear uma greve de atores até julho.

"Terminator Salvation: The Future Begins" ("A Salvação do Exterminador: o Futuro Começa", na tradução literal), quarto episódio da série, está sendo rodado desde segunda-feira no Novo México, numa época em que habitualmente os estúdios evitam iniciar as produções por não terem certeza de que poderão concluí-las até 30 de junho, quando vence o contrato do Sindicato dos Atores de Cinema e TV -- o que na prática significa um prazo para que haja ou não greves na categoria.

Na terça-feira, após três semanas de negociações, a Liga e os grandes estúdios entraram num impasse, o que pode levar a uma nova paralisação de Hollywood, depois dos cem dias de greve dos roteiristas, encerrada em fevereiro.

Os 120 mil membros da categoria ainda não aprovaram um indicativo de greve, e os diretores do sindicato dizem esperar que o assunto se resolva sem paralisação.

Mas, lidando com orçamentos de dezenas de milhões de dólares por filme, os estúdios preferem não se arriscar, exceto os produtores do "Exterminador".

A Warner Bros. será a distribuidora interna do filme, estrelado por Christian Bale no papel que nos três episódios anteriores foi de Arnold Schwarzenegger -- hoje governador da Califórnia. No mercado externo, a distribuição será da Sony. O lançamento está previsto para daqui a um ano.

Uma fonte ligada à produção disse que não há intenção de concluir as filmagens antes de 30 de junho, mas que precauções jurídicas já foram tomadas para o caso de greve. Profissionais do setor consideram que o estúdio resolveu assumir o risco. Por ter começado tão tarde, o "Exterminador" não poderia se beneficiar do "seguro-greve" recentemente oferecido pela seguradora Fireman's Fund.

Por causa do "calendário da greve", quase ninguém se arrisca a iniciar um filme a partir do final de março. Steven Spielberg desistiu de começar no início de abril a rodar seu filme sobre o julgamento de militantes pacifistas em 1968, e Michael Bay achou melhor deixar para o começo de junho, se tudo der certo, o novo episódio de "Transformers".