1 de Agosto de 2008 / às 00:14 / 9 anos atrás

"Sex and the City" para teens? Críticos desaprovam "Gossip Girl"

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Eles usam roupas de grife, tomam coquetéis nos bares mais cool de Nova York, usam drogas, transam em lugares como o banco de trás de limusines. Tudo isso quando ainda estão no colégio.

O seriado "Gossip Girl", sobre a vida de estudantes num colégio particular de elite em Manhattan, é comparado por críticos a um "Sex and the City" para adolescentes, repleto de enredos envolvendo sexo e criando tendências em moda.

Embora não seja um grande sucesso na TV, o seriado da CW conquistou um público e divulgação grandes na Internet, alimentados por uma ousada campanha de marketing com anúncios em outdoors mostrando os personagens teens em cenas sensuais.

Blake Lively, 20 anos, que faz a personagem Serena van der Woodsen, diz que até mesmo ela se surpreende com os enredos.

"Todo o mundo namora todo o mundo e transa com todo o mundo, e um monte de coisa escandalosa acontece no Upper East Side", disse ela em coletiva de imprensa. "Até eu fico chocada."

A atriz aparece nos outdoors, a maioria dos quais em momentos sensuais com um personagem masculino e traz mensagens provocativas usando textos abreviados com os que são usados em torpedos.

Alguns anúncios mais recentes, promovendo a segunda temporada do seriado, que começa em setembro nos EUA, aproveitam as críticas de pais e comentaristas culturais, reproduzindo frases como "espantosamente inapropriado", do Conselho de Pais para a Televisão.

Lively disse em entrevista à Reuters que as críticas apenas alimentam a "máquina de divulgação boca a boca" que os marqueteiros de "Gossip Girl" agitam constantemente para que as pessoas continuem a comentar o programa.

"Eles tentam passar a imagem de que o seriado é mais ousado e sexy do que é de fato", disse ela.

"Se os críticos assistissem ao programa, veriam que não é tão ousado quanto parece, mas, como não temos números sobre isso, o importante é manter o hype. Os marqueteiros tentam nos colocar nos tablóides o tempo todo e inventar histórias malucas a nosso respeito."

CRIANDO TENDÊNCIAS

A CW, pertencente à CBS e à Time Warner, diz que seu público alvo é o feminino jovem.

Blake Lively disse que a maioria dos teens sabe que o seriado, baseado numa série popular e mais ousada de romances de Cecily von Ziegesar para o público adulto jovem, é "realidade intensificada".

"É como os programas de fofocas na TV", disse ela. "As pessoas adoram fofocar e observar pessoas vivendo vidas glamurosas. Acho que não estamos querendo pregar a ninguém sobre como devem viver suas vidas."

Previsores de tendências e executivos da moda dizem que a moda extravagante mostrada no programa está influenciando jovens e gastar e está inspirando estilistas. Mesmo seus figurinistas já disseram que seu objetivo não é seguir tendências, mas criá-las.

A comentarista cultural Carol Platt Liebau, que escreveu sobre uma cultura obcecada por sexo que prejudica garotas jovens, disse que, embora o programa seja divertido, "mostrar meninas do segundo grau como pouco mais do que objetos sexuais que adoram fofocar não passa de um clichê gasto que presta um desserviço a todas as mulheres".

Para ela, "Gossip Girl" transmite às meninas a idéia de que ser sexy é mais importante do que ter caráter ou inteligência.

"A série glamuriza e normaliza comportamentos que podem parecer charmosamente ousados e sofisticados quando menininhas os vêem na TV, mas que, se seguidos na vida real, podem resultar em sofrimento emocional e psicológico para elas", disse a comentarista.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below