Fortalecida, rainha Elizabeth celebra 60 anos de casamento

segunda-feira, 19 de novembro de 2007 11:56 BRST
 

Por Paul Majendie

LONDRES (Reuters) - Até os republicanos admitem que acabar com a monarquia britânica continuará sendo uma tarefa quase impossível enquanto a rainha Elizabeth 2a continuar à frente da Casa de Windsor.

Na terça-feira, a rainha torna-se a primeira monarca britânica a celebrar 60 anos de casamento. Com uma carga genética favorável -- a mãe dela morreu aos 101 anos de idade -- e uma eventual abdicação fora de questão, os esforços republicanos podem ficar bloqueados por um longo período de tempo.

Mas quantas diferenças a última década produziu no casal formado pela rainha, 81, e por seu marido, príncipe Philip, 86, que completam agora bodas de diamante.

A popularidade da monarquia britânica desabou em 1997, depois de a princesa Diana, ex-mulher do herdeiro do trono príncipe Charles, ter morrido em um acidente de carro em Paris. À época, muitos britânicos criticaram a família real, acusando-a de não ter compartilhado das numerosas manifestações públicas de luto.

Apenas dez semanas depois do funeral de Diana, a rainha teria ficado tão perturbada com a atitude da opinião pública em relação a ela que considerou cancelar, depois de uma missa realizada para celebrar os 50 anos de seu casamento, o momento tradicional em que entra em contato com o povo.

Não havia motivos para preocupação.

"Acho que aquele dia marcou o início da volta por cima", afirmou o biógrafo de figuras da monarquia Robert Lacey. "Houve muitas demonstrações de afeto em relação a ela e ao príncipe Philip", disse.

"Na minha opinião, a rainha viu-se subestimada durante a maior parte de seu reinado. Somente agora suas qualidades estão sendo levadas em conta", disse à Reuters. "Para ela, trata-se claramente de uma atividade para a vida toda."

 
<p>Fortalecida, rainha Elizabeth celebra 60 anos de casamento em Londres. At&eacute; os republicanos admitem que acabar com a monarquia brit&acirc;nica continuar&aacute; sendo uma tarefa quase imposs&iacute;vel enquanto a rainha Elizabeth 2a continuar &agrave; frente da Casa de Windsor. 19 de novembro. Photo by Kieran Doherty</p>