Michael Moore prepara continuação de "Fahrenheit 11/9"

quarta-feira, 14 de maio de 2008 15:27 BRT
 

Por Steve Gorman

LOS ANGELES (Reuters) - O cineasta Michael Moore começou a preparar uma sequência "cortante e provocativa" do seu documentário político "Fahrenheit 11/9", de 2004, disseram produtores na terça-feira. O lançamento está previsto para 2009.

Ainda sem nome, o filme está sendo distribuído por dois pequenos estúdios -- a Overture Films, ligada à Liberty Media Corp., de John Malone, e a Paramount Vantage, selo "de arte" da Paramount Pictures, subsidiária da Viacom.

Danny Rosett, executivo da Overture, disse que Moore escolheu deliberadamente lançar o filme depois da eleição presidencial deste ano, porque não quer ser visto como um cineasta "politicamente motivado". Como é habitual em Moore, o estúdio divulga poucos detalhes, mas diz que se trata de uma espécie de sequência de "Fahrenheit 11/9".

Esse filme, uma dura crítica ao presidente George W. Bush e à guerra do Iraque, arrecadou 119 milhões de dólares nos EUA, tornando-se o documento político mais bem-sucedido comercialmente em todos os tempos.

Rosett disse que o foco de Moore desta vez estará sobre os EUA de forma mais geral, como nação industrializada e superpotência depois dos atentados de 11 de setembro de 2001. "Ele pretende examinar como mudou o papel da América nos últimos oito anos."

"Fahrenheit 11/9" foi lançado pouco antes da eleição presidencial de 2004, e Moore esperava que ele ajudasse a impedir a reeleição de Bush. Depois, ele afirmou que a mobilização dos intelectuais poupou os democratas de uma derrota ainda mais esmagadora.

De acordo com Rosett, o novo filme de Michael Moore seguirá o estilo dos anteriores -- misturando imagens de arquivo, humor, pesquisa e segmentos protagonizados pelo próprio Moore.

Esse formato também apareceu em "Sicko", sobre o sistema de saúde, e "Tiros em Columbine", que lhe rendeu um Oscar em 2002.

A Overture Films vai distribuir o novo filme nos EUA, e a Paramount Vantage vai oferecê-lo nesta semana para o mercado externo no festival de Cannes, onde Moore deve estar presente, segundo os estúdios.