ENTREVISTA-Curiosidade e orgulho movem Daniel Day-Lewis

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008 12:22 BRST
 

Por Bob Tourtellotte

LOS ANGELES (Reuters) - Daniel Day-Lewis é um dos maiores atores de sua geração, celebrizado por papéis diversos que vão desde o de uma vítima de paralisia cerebral, em "Meu Pé Esquerdo" (que lhe valeu um Oscar), até o que faz em "Sangue Negro", nos cinemas neste momento.

Este último filme traz o ator britânico, de 50 anos, como um explorador de petróleo do início do século 20, Daniel Plainview, que enriquece tremendamente, mas paga um preço pessoal por isso que afeta sua alma.

Day-Lewis é conhecido por mergulhar profundamente em seus papéis, mas, em entrevista à Reuters, mostrou-se espirituoso e brincalhão ao falar sobre seu trabalho, seu novo filme, a vida com sua mulher, a roteirista e diretora Rebecca Miller, e as tatuagens que tem nos braços.

P: Já se passaram dois anos desde que o vimos em "A Balada de Jack e Rose", que foi escrito e dirigido por Rebecca. O que você vem fazendo desde então?

R: Estive trabalhando. Levamos três anos para fazer este filme ("Sangue Negro"). Dois anos de preparação, quatro ou cinco meses de filmagens e um ano fazendo a edição.

P: Conversei com Paul Thomas Anderson, o roteirista e diretor de "Sangue Negro", e ele disse que você e ele colaboraram estreitamente no roteiro e no desenvolvimento do personagem de Daniel Plainview.

R: Paul não precisou de ajuda com o roteiro. Tendo decido trabalhar juntos, passamos meses e meses discutindo o personagem de Daniel. Posso passar dez anos fazendo um filme, se o tema me interessa. É preciso limitar as filmagens, porque não é possível garimpar mais que um certo tanto em nós mesmos. Mas o período de preparação é um período de alimentação.

P: O que você fez ao longo de três anos para preparar e realizar o filme?   Continuação...

 
<p>Curiosidade e orgulho movem Daniel Day-Lewis. Daniel Day-Lewis &eacute; um dos maiores atores de sua gera&ccedil;&atilde;o, celebrizado por pap&eacute;is diversos que v&atilde;o desde o de uma v&iacute;tima de paralisia cerebral, em 'Meu P&eacute; Esquerdo' (que lhe valeu um Oscar), nos cinemas neste momento. Foto de Arquivo. Photo by Lucas Jackson</p>