Juiz de NY proíbe rapper 50 Cent de vender patrimônio

terça-feira, 10 de junho de 2008 18:45 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - Um juiz de Nova York proibiu na terça-feira o rapper 50 Cent de vender o terreno onde um incêndio destruiu sua casa de 2,4 milhões de dólares.

O incêndio na casa de Long Island, onde sua ex-namorada Shaniqua Tompkins vivia com o filho de dez anos do casal, ocorreu na madrugada de 30 de maio. A polícia suspeita de ação criminal.

Carol Edmead, da Suprema Corte Estadual, determinou que Tompkins pague 4.500 dólares ao rapper até sexta-feira, que seria o valor do último mês de aluguel, segundo advogados de ambas as partes.

Tompkins foi à Justiça exigir metade daquele imóvel de 50 Cent (cujo nome real é Curtis Jackson), alegando que havia um acordo oral nesse sentido feito no início do relacionamento, há cerca de dez anos, de acordo com Paul Catsandonis, advogado dela.

Para ele, o fato de o rapper exigir o pagamento do aluguel causa "dificuldades indevidas" à sua cliente. No incêndio, ela teve que fugir por uma janela, e seis pessoas, inclusive algumas crianças, foram atendidas depois de inalar fumaça, disse o advogado.

Já Brett Kimmel, advogado do músico, disse que a ex-namorada ignorou repetidas ordens judiciais para depositar o aluguel, já que isso era uma condição para sua permanência no imóvel.

"Não foi meu cliente que abriu um processo querendo 50 milhões de dólares", disse Kimmel.

Os dois devem voltar ao tribunal em 15 de julho.

Desde o álbum de estréia, em 2003, 50 Cent construiu um negócio que inclui uma gravadora, uma grife de roupas e calçados, toques para celulares e videogames. Também estrelou um filme baseado na própria vida, chamado "Get Rich or Die Tryin" ("Fique rico ou morra tentando").

(Por Edith Honan)