China procurou Vaticano antes de concerto para o papa--fontes

segunda-feira, 5 de maio de 2008 12:47 BRT
 

Por Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O governo da China procurou o Vaticano para propor que a Orquestra Filarmônica da China se apresentasse para o papa Bento 16, num concerto inesperado que pode ajudar a melhorar as distantes relações entre ambos, disseram fontes da Igreja nesta segunda-feira.

As fontes, que falaram sob a condição de não serem identificadas, disseram que o Vaticano entendeu que a China quer melhorar sua imagem internacional, mas que autoridades da Igreja esperam que o concerto possa ser o ponto inicial para futuras relações diplomáticas.

Mas elas avisaram que não se devem esperar avanços imediatos após o concerto, que acontecerá na noite de quarta-feira no Vaticano.

"Acho que eles (o governo comunista chinês) não estão fazendo isto por amor ao papa ou à Santa Sé, mas acabará sendo positivo, mesmo assim", disse uma das fontes, um sacerdote familiarizado com a situação.

A orquestra, que se encontra em turnê européia, vai tocar o "Réquiem" de Mozart e canções folclóricas chinesas no salão de audiências do Vaticano, acompanhada pelo coral do Teatro de Ópera de Xangai.

O papa Bento 16 fez da melhora das relações com Pequim uma das metas principais de seu pontificado e, em junho passado, divulgou carta aberta de 55 páginas dizendo que quer restaurar as relações diplomáticas plenas do Vaticano com a China, que foram rompidas dois anos após a ascensão do Partido Comunista chinês ao poder, em 1949.

Os católicos chineses se dividem entre os seguidores de uma Igreja apoiada pelo Estado e uma Igreja clandestina cujos fiéis são leais ao Vaticano.

De acordo com uma fonte, está claro que a China "está buscando boa vontade" num esforço para melhorar a imagem internacional do país, prejudicada pelos distúrbios recentes no Tibete e os tumultos que acompanharam a parte internacional do percurso da tocha olímpica.