Empresário manteve Britney Spears drogada, diz mãe da cantora

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008 10:41 BRST
 

Por Dan Whitcomb

LOS ANGELES (Reuters) - Britney Spears foi "drogada" por seu autodeclarado empresário, em uma tentativa de tomar controle de sua casa, sua vida e suas finanças, acusou a mãe da popstar em documentos oficiais que vieram a público na terça-feira.

Em declaração juramentada entregue a um tribunal para obter uma ordem restritiva temporária contra Sam Lutfi, Lynne Spears pintou um retrato perturbador de sua filha de 26 anos, que descreveu como vivendo confusa, entorpecida por drogas e virtualmente mantida cativa por seu antigo empresário.

A superestrela premiada com o Grammy está hospitalizada desde a semana passada para ser submetida a uma avaliação psicológica. Um juiz de Los Angeles indicou um psiquiatra para determinar se ela é capaz de compreender os processos legais que a cercam.

A ordem restritiva contra Lutfi, que foi concedida pelo mesmo juiz, o proíbe de entrar em contato com Britney.

"Lutfi drogou Britney. Ele cortou o telefone de sua casa e tirou dela os carregadores de seus celulares. Ele grita com Britney. Ele afirma controlar tudo: o assessor que cuida dos negócios de Britney, seus advogados e os seguranças da casa", escreveu Lynne Spears na declaração.

Ela contou que chegou à casa de sua filha em Los Angeles em 28 de janeiro, dias antes de Britney ser hospitalizada à força, e encontrou Lutfi no comando, e a cantora confusa.

"Britney ... ficou muito agitada e não conseguia parar de se mover", escreveu Lynne Spears no documento do tribunal.

"Ela limpava a casa. Trocou de roupa muitas vezes. Também trocou as roupas de seus cachorros muitas vezes. Ela falava comigo em um tom e com o nível de entendimento de uma garotinha."   Continuação...

 
<p>Amy Winehous durante show no Brit Awards, em fevereiro de 2007. A cantora soul brit&acirc;nica Amy Winehouse foi interrogada pela pol&iacute;cia em conex&atilde;o com uma acusa&ccedil;&atilde;o de posse de drogas, informou uma fonte policial na quarta-feira. Photo by Kieran Doherty</p>