Paisagem de Van Gogh "encalha" em leilão da Sotheby's

quinta-feira, 8 de novembro de 2007 09:40 BRST
 

Por Christopher Michaud

NOVA YORK (Reuters) - O mercado da arte viveu um tropeço na quarta-feira, em um leilão da casa Sotheby's, quando uma paisagem pintada por Vincent van Gogh no fim da vida não conseguiu ser vendida, e obras importantes de Gauguin e Picasso foram arrematadas por valores abaixo do esperado.

Com um montante total ligeiramente inferior a 270 milhões de dólares, o leilão de arte impressionista e modernista da Sotheby's ficou aquém até da modesta estimativa prévia, de 355 milhões de dólares. Dos 76 lotes oferecidos, 20 não encontraram compradores, incluindo a tela "Campos de Trigo", pintada por Van Gogh dias antes de ele cometer suicídio, em 1890, em Auvers-sur-Oise, nos arredores de Paris.

Já "Te Poipoi (A Manhã)" tela da colorida fase taitiana de Paul Gauguin, obteve o maior valor da noite. Mas o lance de 39,24 milhões de dólares (comissão incluída) ficou abaixo da previsão de 40 milhões de dólares. O comprador foi o colecionador Joseph Lau, de Hong Kong, segundo a Sotheby's.

Funcionários da Sotheby's disseram que o resultado mostra não uma crise no mercado das artes, e sim que a estimativa inicial havia sido exagerada.

"Sei que a venda foi realmente difícil, mas vejo isso mais como uma resistência às estimativas agressivas e não tanto que o mercado da arte tenha virado", disse à Reuters David Norman, diretor de arte impressionista e modernista da casa de leilões. "Nossas estimativas foram obviamente não aceitas pelo mercado, o que tornou as pessoas cautelosas."

Norman lembrou que executivos da Sotheby's notaram, logo após o fim do leilão, um grande interesse pela tela de Van Gogh, cujo valor era estimado entre 28 milhões e 35 milhões de dólares.

A Sotheby's havia garantido um preço mínimo ao vendedor, e por isso a casa agora é dona do quadro, já que não houve lances acima desse mínimo.

Especialistas previam uma venda dentro ou acima dos valores estimados. Para Norman, o interesse despertado pela obra o deixa otimista de que "com paciência vamos conseguir nosso preço por ela no futuro próximo".

O único destaque positivo do leilão foi a venda do bronze "Cabeça de Mulher (Dora Maar)", de Pablo Picasso, vendido por 29,16 milhões de dólares -- bem acima do recorde anterior de uma escultura do artista espanhol, 6,7 milhões de dólares.

Vários outros Picassos, porém, encalharam. Outra grande decepção foi "Eco", de Georges Braque, obra para a qual havia expectativa de conseguir até 20 milhões de dólares.