Portela surpreende e briga com Mangueira e Viradouro

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008 08:16 BRST
 

Por Denise Luna e Fernanda Ezabella

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Portela foi a grande surpresa na primeira noite de desfile na Marquês de Sapucaí neste domingo. Com inovações, a escola arrancou o tão esperado "é campeã" do público, um grito guardado há 24 anos.

Mangueira e Viradouro também levantaram a avenida, sob uma insistente chuva fina, mas sem grandes incidentes para atrapalhar a festa.

Com dupla abertura lembrando os 200 anos da chegada da família real ao Brasil -- do rei Momo em uma majestosa carruagem e da São Clemente, que trouxe a família real como enredo -- o desfile do grupo Especial começou com a irreverência do carnavalesco Milton Cunha.

Na comissão de frente, o carnavalesco colocou a travesti Rogéria como dona Maria, a louca, arrancando aplausos do início ao fim da avenida.

"Fiz tudo para parecer uma louca, só não cocei o cabelo porque estou usando breu e álcool, que era o laquê dos anos 60", disse Rogéria à Reuters.

Além de Rogéria, que participava de uma elaborada e luxuosa coreografia, um outro carro trazia pessoas vestidas de frangos e uma mulher completamente nua abria alas para o carro dos índios "descobertos" por Portugal.

Depois da alegria da São Clemente, a Porto da Pedra colocou japonês no samba, e o resultado foi morno. Segundo a organização, mais de 800 japoneses, descendentes e outros orientais saíram pela escola, como o jornalista japonês Hiroshi Ishida, 37 anos, que mora há dois anos em São Paulo.

"Deu muito orgulho participar, poder comemorar junto. Somos japoneses e também uma parte viva da história do Brasil", disse Hiroshi, em seu segundo Carnaval no Rio.   Continuação...

 
<p>O desfile da escola de samba Portela durante a primeira noite de apresenta&ccedil;&atilde;o das escolas no sambodromo do Rio de Janeiro. A Portela foi a grande surpresa na primeira noite de desfile na Marqu&ecirc;s de Sapuca&iacute; neste domingo. Com inova&ccedil;&otilde;es, a escola arrancou o t&atilde;o esperado '&eacute; campe&atilde;' do p&uacute;blico, um grito guardado h&aacute; 24 anos. Photo by Stringer</p>