Hospital suspende funcionários por ler ficha de George Clooney

quarta-feira, 10 de outubro de 2007 13:55 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - O hospital em que o ator George Clooney recebeu tratamento depois de um acidente de moto acusou cerca de 40 funcionários, incluindo médicos, de ter lido a ficha médica do ator, um ato inapropriado, afirmou um sindicato na quarta-feira.

O sindicato dos profissionais da saúde em Nova Jersey, nos Estados Unidos, disse que sete membros foram suspensos por um mês, sem receber salário, pelo Centro Médico Palisades Medical Center por causa do incidente.

Clooney, 46, fraturou uma costela, e a companheira dele, Sarah Larson, quebrou o pé quando os dois caíram da moto após uma colisão com um carro, no fim de setembro.

A presidente do sindicato, Ann Twomey, disse em uma nota que os enfermeiros e profissionais filiados à entidade podiam ter autorização para ler a ficha de Clooney. O sindicato está investigando.

"Embora acreditemos que as pessoas tenham de ser responsabilizadas se violarem a privacidade do paciente, também acreditamos que o hospital tinha a responsabilidade de estabelecer sistemas adequados para proteger a privacidade do paciente", disse ela.

"Em vez disso, o hospital fez juízos apressados e impôs duras punições econômicas, em vez de trabalhar para evitar futuras falhas na segurança."

Não havia representantes do hospital disponíveis para comentar o caso. Numa declaração à imprensa local, Clooney disse ser contra a suspensão dos funcionários.

(Reportagem de Michelle Nichols)