Jipes de Abadía são disputados em leilão regado a uísque e vinho

quarta-feira, 9 de abril de 2008 23:07 BRT
 

Por Fernanda Ezabella

SÃO PAULO (Reuters) - Ao contrário da confusão da véspera no bazar de objetos apreendidos do traficante Juan Carlos Ramírez Abadía, apenas cerca de 300 pessoas participaram do leilão de itens mais caros que aconteceu na noite desta quarta-feira.

Canapés, vinhos e uísques foram servidos aos convidados do evento, entre colecionadores e investidores, além de outras poucas pessoas que conseguiram entrar após retirar senhas na entrada do Jockey Club de São Paulo.

Na terça-feira, no bazar de roupas, sapatos, móveis, aparelhos eletrônicos e utensílios domésticos, milhares de pessoas tentaram entrar no Jockey, eliminando em um único dia 85 por cento dos objetos.

Diante do tumulto nos portões do jóquei, a polícia chegou a usar gás pimenta para dispersar a multidão e empurrou algumas pessoas no chão,

Na noite de quarta-feira, o clima era outro, com garçons distribuindo bebidas à vontade. A venda aconteceu no lugar onde o jóquei realiza seus leilões de cavalos e contou com ampla de segurança de homens armados.

Até às 22h, apenas 18 dos 87 lotes haviam ido a leilão, incluindo os dois jipes, uma das três bicicletas e alguns dos relógios.

O primeiro e mais disputado lote foi o jipe Willis Overland de 1969, que levou cinco minutos para ser arrematado por 27,8 mil reais. O segundo jipe, um Ford Rural, saiu por 37 mil reais.

"Gosto de jipes antigos, minha esposa também, achei que estava bem bonito", disse o comerciante Antonio, que comprou o jipe Willis vermelho, pedindo para não ter o sobrenome divulgado.   Continuação...