Entidade britânica condena propaganda de armas em filmes

quarta-feira, 21 de novembro de 2007 11:10 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O órgão regulador da publicidade na Grã-Bretanha deu aval na quarta-feira às queixas contra a glamourização das armas na campanha promocional de um filme de ação, em um momento de crescente preocupação da opinião pública com a violência juvenil.

A Autoridade de Padrões da Publicidade (ASA, na sigla em inglês) manifestou apoio às 55 pessoas que reclamaram dos cartazes do thriller "Shoot'Em Up" (atire neles).

Um dos anúncios mostra o ator Paul Giamatti apontando uma arma e falando ao celular, com a legenda: "Só mais um pai de família ganhando a vida".

Em outro cartaz, o ator Clive Owen salta no ar, com uma pistola em cada mão, como se as apontasse para o espectador.

Um grupo de Londres apresentou uma queixa, alegando que os anúncios glorificam os crimes com armas.

Houve quem considerasse os cartazes ofensivos e insensíveis a parentes e vítimas de armas, como a família de Rhys Jones, um menino de 11 anos baleado e morto em uma rua de Liverpool.

Sua morte, depois de uma série de outros homicídios de jovens, abalou o país e levou o primeiro-ministro Gordon Brown a prometer medidas.

A distribuidora Entertainment Film, responsável pelos cartazes, disse não acreditar que haja glamourização da violência, e que no cartaz de Owen houve a preocupação de que as armas não apontassem para quem olha.

A ASA, ao explicar sua decisão de que os anúncios não deveriam ser usados novamente, disse estar ciente da preocupação do público.   Continuação...