ENTREVISTA-Grupo mexicano Maná quer conquistar Brasil e Europa

segunda-feira, 8 de outubro de 2007 18:16 BRT
 

Por Fabián Andrés Cambero

NOVA YORK (Reuters) - Depois de chegar ao auge da popularidade em quase toda a América Latina e os Estados Unidos, o grupo mexicano Maná está convencido de que possui as ferramentas necessárias para seduzir o público brasileiro e europeu.

Os membros da banda, que se encontra no meio de uma turnê de sucesso pelos EUA, comentaram que vão procurar espaço para atender a novos mercados.

"O Brasil está aí, temos muito o que fazer. Queremos conquistar os brasileiros. Acredito que podemos, e vamos trabalhar para isso. O mesmo se aplica à Itália e Alemanha -- estamos muito bem, mas precisamos trabalhar mais", disse à Reuters o vocalista Fher Olvera, em entrevista concedida em Nova York.

A banda também está interessada em conhecer países distantes, como o Japão, e outros onde suas canções são ouvidas.

"É impressionante ver que um grupo como o nosso chegou tão longe usando nossa língua -- que há um interesse pelo espanhol em outras culturas e outras partes do mundo", acrescentou o baterista Alex González.

Os membros atribuem o sucesso do Maná à sua perseverança e à qualidade do seu trabalho. Por isso mesmo, acham que vai demorar para conseguirem apresentar materiais inéditos.

A banda também está concentrada na difusão de sua iniciativa ecologista para desenvolver um programa de educação ambiental que possa ser implantado nas escolas primárias do México e qualquer outro país que o deseje.

A turnê "Amar é combater" incluiu quatro apresentações no Staple Center de Los Angeles e três no Madison Square Garden de Nova York -- uma conquista importante para artistas latino-americanos nos EUA.

"É um sinal muito claro de que algo está acontecendo com a comunidade latina nos EUA, porque muitos grupos europeus não conseguem isso", comentou Olvera.

Depois de um descanso das apresentações nos EUA, o Maná vai passar pela América Central e Venezuela. Na turnê prevista para terminar em maio de 2008, a banda pretende apresentar-se também no Brasil, Colômbia, Itália, México e República Dominicana.