15 de Dezembro de 2007 / às 16:25 / 10 anos atrás

Marchand norte-americano Gagosian abre galeria em Roma

Por Liz Rusbridger

ROMA (Reuters) - O influente marchand norte-americano Larry Gagosian, especialista em arte moderna e contemporânea, chamou atenção em Roma com a abertura de sua primeira galeria na Europa continental, escolhendo para isso uma cidade ainda dominada pela arte antiga e renascentista.

Citado em novembro pela revista ArtReview como o segundo nome mais poderoso no mundo das artes, Gagosian vai inaugurar sua sétima galeria no sábado, no centro histórico de Roma, com uma exposição da arte abstrata do norte-americano Cy Twombly.

Suas outras galerias ficam em Nova York, Beverly Hills e Londres.

A iniciativa deixou perplexo o mundo artístico italiano, onde Roma é tradicionalmente vista como ocupada demais em preservar os tesouros do passado, enquanto Veneza e Milão são mais voltadas ao futuro.

A arte contemporânea luta há tempos para abrir espaço na capital. Mas alguns dizem que isso vai mudar com a abertura, prevista para 2009, do Museu Nacional da Arte do Século 21 (MAXXI), projetado pela artista iraquiana radicada na Inglaterra Zaha Hadid.

Uma porta-voz de Gagosian disse: “Acho que a razão da escolha de Roma é que vários artistas modernos importantes vivem aqui, e já existem ótimas galerias na cidade.”

“Roma está se tornando um lugar muito importante a ser visitado pelos interessados em arte contemporânea.”

Apelidado de “flautista de Hamelin” pela influência que exerce sobre as tendências na arte, Gagosian, em entrevista recente, descreveu Roma como “gigante adormecido” em matéria de arte moderna e contemporânea.

Projetada pelo arquiteto Firouz Galdo, sua galeria foi planejada para ser um espaço de exposições que fará quatro ou cinco mostras por ano, e não como espaço comercial.

A primeira exposição também pretende destacar o vínculo com a Cidade Eterna, já que Cy Twombly vive e trabalha em Roma há 40 anos.

Mas algumas pessoas no mundo artístico italiano não vêem a chegada de Gagosian com muito bons olhos.

“Tenho a impressão de que galerias estrangeiras não estão tão interessadas em participar da vida cultural de uma cidade -- que estão aqui para fazer negócios”, disse ao jornal La Repubblica Micol Veller, dono da pequena galeria romana Vm21.

A diretora da nova galeria Gagosian, Pepi Marchetti Franchi, promete mostras futuras de artistas como Alberto Giacometti, Anselm Kiefer e Willem de Kooning.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below