Billy Joel e cantor novato vão à guerra com canção de Natal

terça-feira, 4 de dezembro de 2007 12:32 BRST
 

NOVA YORK (Billboard) - Billy Joel rompeu seu isolamento auto-imposto do pop pela segunda vez em um ano, mas a impressão que se tem é que ele preferiria que ninguém soubesse.

O segundo novo single que Joel compôs desde seu último álbum pop, "River of Dreams", de 1993, tem o título de "Christmas in Fallujah" e chega à loja virtual iTunes nesta terça-feira.

Há duas diferenças grandes entre o single e os clássicos que fizeram de Billy Joel um dos artistas com maiores vendas de todos os tempos. Em primeiro lugar, não há piano na canção e, em segundo, praticamente não há Billy Joel.

Em lugar disso, pela primeira vez, segundo Joel, ele compôs uma canção originalmente para ser cantada por outra pessoa, um jovem de 21 anos de Long Island chamado Cass Dillon.

Joel disse à Billboard que "Fallujah" foi inspirado em parte nas cartas que recebeu de soldados que estão no exterior, mas também na realidade da guerra.

A canção lhe veio rapidamente, disse Joel, e também a compreensão de que não deveria ser ele a gravá-la.

"Achei que alguém com uma voz jovem deveria cantá-la, alguém cuja vida esteja apenas começando. Além disso, sabe, estou com 58 anos. Quando compus a canção, eu não estava pensando em minha própria voz, mas na voz de um soldado, ou alguém da idade de um soldado."

Cass Dillon é um jovem cantor e compositor que passou alguns anos recebendo ajuda de Tommy Byrnes, diretor musical de Billy Joel por muitos anos.

Dillon deixou a faculdade há dois anos para trabalhar com música e, desde então, frequenta o circuito dos coffee-shops e bares. Byrnes fez Joel ouvir várias canções de Dillon e, quando chegou o momento de encontrar alguém para cantar "Fallujah", Dillon "foi o primeiro que me veio à mente", contou Joel.

 
<p>Billy Joel e cantor novato v&atilde;o &agrave; guerra com can&ccedil;&atilde;o de Natal. Billy Joel rompeu seu isolamento auto-imposto do pop pela segunda vez em um ano, mas a impress&atilde;o que se tem &eacute; que ele preferiria que ningu&eacute;m soubesse. Foto do Arquivo. Photo by Siphiwe Sibeko</p>