Mary-Kate Olsen quer imunidade para depor sobre morte de Ledger

segunda-feira, 4 de agosto de 2008 19:50 BRT
 

Por Deborah Jian Lee

NOVA YORK (Reuters) - A atriz norte-americana Mary-Kate Olsen solicitou imunidade jurídica para depor no inquérito sobre a morte de seu colega australiano Heath Ledger, disse uma fonte judicial à Reuters na segunda-feira.

Olsen, de 22 anos, era amiga de Ledger e foi a primeira pessoa chamada pela massagista que o encontrou morto no apartamento dele em Nova York, em janeiro, vítima de uma aparente overdose acidental de medicamentos e drogas. O ator tinha 28 anos.

Ao ser avisada, a atriz, conhecida por sua participação na série "Três é Demais", chamou seguranças particulares, que chegaram ao apartamento no bairro do SoHo ao mesmo tempo que a equipe de resgate.

A DEA (agência dos EUA que controla medicamentos) está investigando a fonte dos remédios usados pelo ator.

A fonte que falou à Reuters disse que já houve duas solicitações para que ela fosse ouvida, sem sucesso, e que agora está ocorrendo uma negociação com a promotoria e os advogados dela.

Michael Miller, advogado da atriz, disse em nota que ela já forneceu informações relevantes, como uma cronologia dos fatos e que "não tem nada a ver com as drogas encontradas na casa ou no corpo de Heath Ledger, assim como não sabe onde as obteve".

Ledger foi indicado ao Oscar por seu papel como o caubói gay em "O Segredo de Brokeback Mountain" (2005). Para 2009, está sendo cotado para um Oscar póstumo pela interpretação do vilão Coringa no novo filme do personagem Batman.

Ele deixou uma filha de dois anos, Matilda, de seu relacionamento com Michelle Williams, com quem contracenou em "Brokeback Mountain".