NY mergulha na Bossa Nova para show histórico de João Gilberto

sexta-feira, 20 de junho de 2008 20:55 BRT
 

Por Adriana Garcia

WASHINGTON (Reuters) - No ano em que a Bossa Nova completa meio século de vida, um dos fundadores do movimento tocará no Carnegie Hall, em Nova York --um local histórico que ajudou a disseminar o ritmo brasileiro mundo afora.

O violão suingado de João Gilberto subirá aos palcos durante o JVC Jazz Festival, no domingo, a fim de lembrar como seu jeito sutil e discreto de cantar e tocar samba transformou para sempre a música brasileira.

"A Bossa Nova é considerada um sinônimo de música brasileira fora do nosso país", afirmou o crítico Zuza Homem de Mello, que publicou recentemente um livro sobre João Gilberto, 77.

O crítico é também curador de uma mostra sobre o movimento musical que ocorre em São Paulo, em julho.

A novidade surgiu oficialmente em 1958 com "Chega de Saudade", uma canção que consagraria uma das parcerias mais bem-sucedidas da música brasileira, a parceria entre as composições de Tom Jobim e as interpretações de João Gilberto.

"João Gilberto foi a voz da Bossa Nova, e o compositor foi Antônio Carlos Jobim", disse recentemente o músico brasileiro Sérgio Mendes, radicado em Los Angeles.

O Brasil atravessava então um período de otimismo e modernização, com a construção de uma nova capital, uma economia em ritmo acelerado e um líder eleito democraticamente, Juscelino Kubitschek, que ficou conhecido como "o presidente bossa nova".

A nova batida conquistou os jovens jazzistas do Rio de Janeiro e tornou-se rapidamente popular entre a classe média.   Continuação...