Igrejas de Roma vetam filmagem de "Anjos e Demônios"

segunda-feira, 16 de junho de 2008 17:47 BRT
 

ROMA (Reuters) - A Igreja Católica italiana não permitiu que um novo filme baseado num romance de Dan Brown seja rodado em igrejas de Roma, depois de "O Código Da Vinci", do mesmo autor, ter provocado críticas no Vaticano.

Estrelado por Tom Hanks e Ewan McGregor, "Anjos e Demônios" conta a história que antecede a de "O Código Da Vinci". O livro é ambientado principalmente em Roma e no Vaticano.

As filmagens começaram este mês em alguns dos pontos mais famosos da capital italiana, incluindo a Piazza Navona e a Piazza del Popolo, mas a produção do filme foi proibida de entrar nas igrejas de Santa Maria del Popolo e Santa Maria della Vittoria.

As duas igrejas romanas famosas estão entre cerca de 700 locais de oração que pertencem ao Ministério do Interior italiano e são administrados pela Igreja italiana.

Um porta-voz da Arquidiocese de Roma, o padre Marco Fibbi, disse que o Ministério do Interior recebeu dos produtores do filme um pedido de autorização para usar as igrejas. O ministério pediu a opinião da arquidiocese, e ela foi contrária ao pedido.

"Acho que eles não nos teriam pedido diretamente porque já sabiam qual seria a resposta", disse Fibbi à Reuters.

"O Código Da Vinci" provocou reações de ultraje do Vaticano e de alguns setores católicos devido a sua história, segundo a qual Jesus teria se casado com Maria Madalena e tido filhos, criando uma linha de sucessão que autoridades da Igreja teriam mantido em segredo ao longo de séculos.

Os cristãos aprendem que Jesus nunca se casou, que ele foi crucificado e ressuscitou.

A igreja de Santa Maria del Popolo abriga duas obras-primas de Caravaggio -- "A Crucifixão de São Pedro" e "A Conversão de São Paulo".

Fibbi disse que a permissão de filmar em igrejas italianas é concedida em circunstâncias excepcionais, e normalmente só é dada se a produção é compatível com o sentimento religioso ou quando se trata de um documentário sobre religião ou arte.