6 de Agosto de 2008 / às 17:38 / 9 anos atrás

ENTREVISTA-Ian Brown, do Stone Roses, prefere carreira solo

Por Golnar Motevalli

LONDRES (Reuters) - Ian Brown foi vocalista da banda indie de Manchester Stone Roses, formada em 1984 e vista como uma das pioneiras do cenário musical dessa cidade do norte da Inglaterra, apelidado de "Madchester".

Brown lançou seu primeiro álbum solo, "Unfinished Monkey Business", em 1998. Em 2006, a revista NME lhe deu o troféu "Gênio Divino".

Brown vive e trabalha entre Londres e Warrington, sua cidade natal, perto de Manchester. Seu álbum mais recente, "The World is Yours", saiu há quase um ano. Neste verão do hemisfério norte, ele está se apresentando em vários festivais de música pelo mundo afora.

Ele conversou com a Reuters recentemente, na exibição de um novo DVD da banda punk britânica Sex Pistols, ao lado da qual foi destaque no festival de música da Ilha de Wight este ano.

PERGUNTA: É melhor ter uma carreira solo do que tocar em uma banda? Por que?

RESPOSTA: São duas vezes mais alegria e metade dos problemas. Você nunca se desentende com ninguém. Posso trabalhar com quem eu quiser, sem ninguém sentir ciúmes.

P: Como é ser visto como ícone de Manchester ou Madchester?

R: Deixo tudo isso entrar por um ouvido e sair pelo outro. Procuro só fazer meu trabalho no dia-a-dia.

P: O que você tem programado para o futuro próximo?

R: Tenho um monte de shows a fazer este ano, muitos festivais. Estou escrevendo várias canções; espero até setembro ter um número suficiente para começar um álbum novo. Estou trabalhando com um garoto japonês que tem seu estúdio no sul do Japão, então estou torcendo para o sol do Pacífico me dar uma inspiração extra.

P: Há alguém com quem você gostaria de trabalhar?

R: Jay-Z. Ele esteve brilhante (no festival de Glastonbury), fantástico. Foi a melhor coisa ao vivo que já vi na TV.

P: Existe alguma chance de os Stone Roses voltarem juntos?

R: Nenhuma. Nem nesta vida, nem nas próximas três.

P: Depois de seu papel em "Harry Potter" (Ian Brown fez uma ponta não creditada em "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban", de 2004), você gostaria de atuar mais?

R: Só se fizessem um remake de "Scarface", mas baseado na maconha. Se Daniel Craig se cansar de ser James Bond, eu toparia ser um 007 de Manchester, se me quisessem.

P: Você está aqui no lançamento de um DVD dos Sex Pistols. O que essa banda significa para você?

R: O Sex Pistols é a melhor banda que já existiu. Acho que ela tem o melhor conjunto de canções de qualquer banda, em qualquer tempo. E o fato de eu estar aqui, convidado pessoalmente por Johnny Rotten, é um sonho.

P: Hoje em dia é mais fácil uma banda como os Sex Pistols se destacar, comparado com quando você começou?

R: Acho que está mais difícil do que nunca. Conseguir um contrato de gravação é como querer ser o jogador da camisa 7 do Manchester United.

P: Existe alguma banda de hoje que tenha a mesma atitude ou que seja semelhante aos Sex Pistols ou outras bandas punk daquela época?

R: Nenhuma. Nos últimos 30 anos não houve ninguém. As pessoas não têm a coragem que tinham.

P: Você acha que é coragem que falta aos jovens que querem fazer carreira numa banda?

R: Sim. Acho que as pessoas hoje só querem virar estrelas -- não querem mudar o mundo. Quando chegam nas manchetes, elas se contentam com isso. Nós (Stone Roses) entramos nessa para tentar mudar o mundo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below