29 de Agosto de 2008 / às 15:00 / 9 anos atrás

Kim Basinger e Charlize Theron estrelam filme exibido em Veneza

<p>A atriz sul-africana Charlize Theron posa ao chegar ao Festival de Veneza, dia 29 de agosto. As premiadas com o Oscar Kim Basinger e Charlize Theron representam m&atilde;e e filha em 'The Burning Plain', uma hist&oacute;ria intensa de amor e trai&ccedil;&atilde;o que &eacute; a estr&eacute;ia na dire&ccedil;&atilde;o do aclamado roteirista mexicano Guillermo Arriaga. Photo by Denis Balibouse</p>

Por Mike Collett-White

VENEZA (Reuters) - As premiadas com o Oscar Kim Basinger e Charlize Theron representam mãe e filha em “The Burning Plain”, uma história intensa de amor e traição que é a estréia na direção do aclamado roteirista mexicano Guillermo Arriaga.

O filme é o primeiro de cinco trabalhos norte-americanos a ser exibidos na competição oficial do Festival de Cinema de Veneza e foi aplaudido calorosamente por críticos e jornalistas na sexta-feira, antes de sua estréia mundial de gala.

Arriaga é conhecido principalmente por seus roteiros, que incluem os elogiados dramas “Amores Brutos”, “21 Gramas” e “Babel”, pelo qual recebeu uma indicação ao Oscar.

A julgar pelo que ele disse sobre seu primeiro trabalho por trás das câmeras, tudo indica que ele voltará a dirigir outras vezes.

“Curti cada momento”, ele disse a repórteres, falando em inglês.

“Posso afirmar que dirigir foi o momento mais feliz de minha vida profissional. Bastava chegar ao set para eu estampar um sorriso no rosto ... que não sumiu até agora.”

Os saltos temporais e as tramas que convergem em “The Burning Plain”, cujo roteiro também é de Arriaga, são algumas de suas marcas registradas.

“Na vida real, nunca contamos histórias de maneira linear”, disse ele. “Sempre as contamos de modo decomposto.”

“Acho que o cinema ainda é uma mídia muito jovem. Ele está começando a encontrar sua linguagem própria, e uma dessas linguagem é a desconstrução do tempo.”

Além do tempo, o filme explora os elementos da natureza. Cada trama representa a terra, o ar, o fogo ou a água, e as paisagens mudam de deserto árido e sol abrasador para mares revoltos e céu costeiro pesado de chuva.

OBSESSÃO PELA MORTE

“The Burning Plains” também trata da morte.

“Sou obcecado pelo peso que a morte exerce sobre os vivos”, disse o cineasta de 50 anos.

“Minha identidade é construída pelas pessoas que amo e que me cerca. Cada vez que uma delas morre, parte de minha identidade se rompe e se perde. Sou obcecado pela maneira como a perda de alguém que amo afeta minha própria identidade.”

Charlize Theron, que representa a personagem emocionalmente marcada Sylvia, também fez as vezes de produtora em “The Burning Plain”, como fez em “Monster”, que lhe valeu o Oscar de melhor atriz.

Kim Basinger, 54 anos, não estava presente à coletiva de imprensa em Veneza, mas Theron disse que a idade Basinger confere uma nova dimensão ao trabalho de sua colega.

“Há uma força”, disse Theron. “Acho que hoje, mais do que nos trabalhos que ela fez na casa dos 30 anos, há uma força em sua atuação, associada à vulnerabilidade que restou de seus 20 anos, que é incrivelmente bela de se ver.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below