Mistério de assassinato dá prêmio de não-ficção a britânica

terça-feira, 15 de julho de 2008 17:55 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A reconstrução de um mistério policial do século 19 que fascinou e intrigou Charles Dickens valeu a Kate Summerscale o Prêmio Samuel Johnson de Não-Ficção, no valor de 30 mil libras, na terça-feira.

A presidente do júri do prêmio, Rosie Boycott, disse que "The Suspicions of Mr. Whicher" é "uma trama policial dramática e fascinante sobre um assassinato verídico que inspirou o nascimento da ficção policial moderna".

O livro relata um homicídio sinistro cometido em 1860 numa elegante mansão rural em estilo georgiano, que suscitou ultraje nacional e foi um dos trabalhos mais difíceis enfrentados por Jack Whicher, o mais renomado detetive da Scotland Yard.

O caso fascinou toda uma geração de escritores britânicos, desde Charles Dickens até Wilkie Collins e Arthur Conan Doyle.

Summerscale derrotou a concorrência de uma lista eclética de finalistas para conquistar o prêmio de não-ficção considerado o de maior valor monetário no mundo.

Entre as outras obras que concorreram ao prêmio Samuel Johnson, dado pela BBC Four, estiveram a biografia reveladora de V.S. Naipaul escrita por Patrick French e a recriação escrita por Tim Butcher, correspondente do Daily Telegraph, da célebre expedição ao Congo feita pelo explorador vitoriano H.M. Stanley.