Festa do Oscar celebra atores europeus e irmãos Coen

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008 11:30 BRT
 

Por Bob Tourtellotte

LOS ANGELES (Reuters) - Os maiores astros e estrelas de Hollywood ficaram em segundo plano no Oscar 2008, que teve quatro europeus e os irmãos Coen como principais vencedores por filmes aclamados pela crítica mas cujo sucesso nas bilheterias foi apenas moderado.

O violento drama "Onde os Fracos Não Têm Vez" recebeu quatro prêmios da Academia no domingo, mais que qualquer outro filme, incluindo os de melhor filme, direção e roteiro adaptado, entregues aos irmãos Joel e Ethan Coen.

O quarto prêmio do filme, o de melhor ator coadjuvante, ficou com o espanhol Javier Bardem, pelo papel de matador de poucas palavras. Foi o primeiro Oscar dado a um ator espanhol nos 80 anos de história dos prêmios mais importantes do cinema mundial.

O britânico Daniel Day-Lewis recebeu o Oscar de melhor ator pelo papel de um explorador petrolífero do início do século 20 cuja ascensão à riqueza e ao poder cobra um preço caro de sua alma. Ele já tinha recebido vários outros prêmios pelo papel.

Tilda Swinton, também britânica, surpreendeu ao ganhar o Oscar de melhor atriz coadjuvante pelo papel de advogada inescrupulosa em "Conduta de Risco." A australiana Cate Blanchett era vista como favorita, por representar Bob Dylan em "Não Estou Lá".

Marion Cotillard foi considerada a melhor atriz por encarnar a cantora Edith Piaf em "Piaf -- Um Hino ao Amor", tornando-se a primeira francesa a receber o Oscar desde Simone Signoret, em 1960.

Essa foi a primeira vez desde 1964 que os quatro prêmios de atuação foram dados a artistas de fora dos EUA, país da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, responsável pelo Oscar.

IRMÃOS COEN   Continuação...