Gastos com anúncios na TV serão recorde na eleição dos EUA

quarta-feira, 2 de julho de 2008 12:24 BRT
 

Por Andy Sullivan e Paul Thomasch

WASHINGTON/NOVA YORK (Reuters) - A corrida presidencial norte-americana de 2008, que já atraiu dólares e eleitores em número recorde, está prestes a quebrar mais um recorde: o da quantidade de dinheiro gasta com anúncios de televisão.

Ao mesmo tempo em que o democrata Barack Obama e o republicano John McCain percorrem o país, antes da eleição de novembro, eles irão gastar grandes somas em anúncios que irão refletir progressivamente mais o clima altamente competitivo da campanha.

A expectativa é que os gastos totais com anúncios de TV na disputa presidencial passem de 800 milhões de dólares, disse Evan Tracey, executivo-chefe do Grupo de Análise de Mídia em Campanhas, que monitora a publicidade política. O recorde anterior, na eleição de 2004, foi de 500 milhões de dólares.

Isso é boa notícia para a televisão, que sofre os efeitos da retração dos anunciantes dos setores automotivo, imobiliário e de serviços financeiros.

Graças em parte ao fluxo previsto de anúncios da campanha, prevê-se que os gastos com anúncios nas TVs locais e nas grandes redes aumente entre 2 e 3 por cento em 2008, enquanto o aumento na TV a cabo deve ser de 6 por cento, segundo a Zenith Optimedia.

De acordo com especialistas, mesmo na era do YouTube, os anúncios na TV ainda são a melhor maneira de atingir diretamente a uma grande faixa de eleitores. Os anúncios de TV também moldam a cobertura noticiosa e frequentemente são retransmitidos durante jornais de TV, sem custo adicional.

Este ano os anúncios não serão transmitidos apenas em alguns poucos Estados.

Obama levantou 286 milhões de dólares até o final de maio, e a expectativa é que levante outras centenas de milhões até novembro.

Ele já comprou espaço em Estados tradicionalmente republicanos como o Alasca, Montana e Indiana, numa tentativa de obrigar McCain a defender Estados que, de outro modo, o candidato republicano daria como garantidos.

O candidato democrata também pode transmitir anúncios nacionais durante eventos de destaque como as Olimpíadas e a Série Mundial de beisebol, além de veicular spots em canais a cabo com a MTV, voltada ao público jovem.