Cinzas de Yves Saint Laurent são espalhadas em Marrakech

quarta-feira, 11 de junho de 2008 14:58 BRT
 

Por Tom Pfeiffer e Hassan Alaoui

MARRAKECH, Marrocos (Reuters) - Os amigos de Yves Saint Laurent espalharam as cinzas dele em um jardim botânico de Marrakech onde o estilista encontrava inspiração e abrigo da fama.

Mais de cem convidados, entre os quais o ex-ministro da Cultura da França Jack Lang e a estilista Paloma Picasso, participaram da cerimônia privativa ocorrida no jardim onde aves bulbul cantavam nas árvores e a luz do Sol refletia-se nas piscinas de água gelada.

Saint Laurent e Pierre Bergé, companheiro dele de longa data, compraram o Jardim Majorelle em 1980 e reformaram o local, onde muros de cobalto azul e tanques com nenúfares misturam-se aos cactos, bambuzais, palmeiras e agaves.

Hoje em dia, as alamedas tranquilas e o pequeno museu de arte islâmica presentes ali ganharam popularidade entre os turistas cansados de percorrer as ruas estreitas e poeirentas de Marrakech, tomadas por carroças puxadas por burros e pelo som da buzina de lambretas.

"Eu estou muito contente com o fato de ele ter escolhido Marrakech, esse lugar mágico, para repousar por toda a eternidade", afirmou Lang.

Saint Laurent é apontado como o responsável por mudar para sempre o visual das roupas femininas e foi o primeiro estilista a criar marcas de luxo acessíveis a um público maior por meio das inovadoras coleções prêt-à-porter.

Mas o estilista também lutou com as pressões da fama e sofreu com o consumo excessivo de álcool e drogas. Amigos afirmam que Saint Laurent encontrou paz e reclusão nos jardins, para onde costumava retirar-se após os estressantes desfiles de moda.

O estilista nasceu e cresceu na Argélia, então uma colônia francesa, e encontrou um ambiente semelhante em Marrakech quando ele e Bergé chegaram ali, no final dos anos 60.   Continuação...