Caos impera em filmes de "Loucura da Meia-Noite" em Toronto

terça-feira, 9 de setembro de 2008 16:00 BRT
 

Por Ka Yan Ng

TORONTO (Reuters) - Esqueça o tapete vermelho ou astros de Hollywood politicamente corretos. A confusão rola solta nos filmes da seção "Midnight Madness" (Loucura da Meia-Noite) do festival de Toronto, que começou literalmente à meia noite da sexta-feira com a exibição de "JCVD", em que o herói de ação Jean-Claude Van Damme zomba de sua própria carreira.

O festival de Toronto é um dos maiores pontos de encontro do cinema mundial, e este ano traz Brad Pitt, George Clooney, Tilda Swinton e até a jovem Dakota Fanning percorrendo o disputado tapete vermelho nas sessões de gala.

À meia-noite, porém, o glamour é deixado de lado, e o público se reúne para assistir a filmes sombrios, sangrentos, bizarros e cômicos.

Em anos anteriores a seção "Midnight Madness" já lançou filmes que viraram sucesso em Hollywood, como a comédia "Borat: O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América", de Sacha Baron Cohen, e o terror "Jogos Mortais", que teve várias sequências igualmente sangrentas.

Os executivos dos estúdios ficam de olho nos materiais pouco convencionais, na esperança de encontrar o próximo grande sucesso. Este ano, "JCVD" vem gerando muitas reações.

Van Damme faz o papel dele próprio: um herói internacional de ação que passa por uma fase difícil. Seu corpo, com o passar dos anos, faz com que lhe seja mais difícil lutar nos filmes, e ele enfrenta problemas de dinheiro.

Ele volta a sua cidade natal para fugir da vida, mas é feito refém num assalto e tem que lutar para escapar. Assim, o filme tem cenas de luta, mas Van Damme, conhecido como "Muscles from Brussels" (músculos de bruxelas), conquistou fãs com esse filme por um monólogo em que encara seus demônios pessoais.

Todos os anos são escolhidos dez filmes para a "Midnight Madness", e este ano o programador da seção, Colin Geddes, prometeu "mais um ano de confusão e estragos".   Continuação...