Beija-Flor, campeã de 2007, viaja ao Amapá atrás de ave rara

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008 21:40 BRST
 

Por Fernanda Ezabella

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O carnavalesco Alexandre Louzada, que disputa o tricampeonato neste ano, levará a escola de samba Beija-Flor para uma "viagem fantástica" do bairro carioca de Nilópolis às selvas do Amapá, habitat de uma das aves mais raras do mundo, o beija-flor-brilho-de-fogo.

O espírito incandescente surge logo no primeiro carro. Foram 300 mil elementos, incluindo 150 mil reais em folhas de acetato, usados para compor principalmente as penas em vermelho e amarelo das dezenas de beija-flores instalados no carro.

"É para parecer que está em brasa", disse Alexandre à Reuters, no barracão da escola, explicando que o grande beija-flor central do carro bate asas e faz um "vôo" de 360 graus.

O abre-alas, composto de dois carros acoplados, é o "xodó da escola", primeiro a começar a ser feito e o último a terminar. Mais de 100 pessoas vão desfilar em cima.

Louzada, que ganhou em 2006 com a Vila Isabel e em 2007 com a Beija-Flor, disse que o tema-homenagem a Macapá veio por acaso, após uma palestra no Rio sobre Carnaval, assistida pelos secretários de Turismo e Cultura do Amapá.

Convidado a dar a mesma palestra em Macapá, Alexandre recebeu antes de viajar um vasto material sobre a cultura da região. Ao saber do raro beija-flor, convenceu-se da boa história que tinha nas mãos.

Outra coincidência, como ele próprio chama, é o fato de a cidade completar 250 anos bem no dia em que a escola entra na avenida --4 de fevereiro. O Estado investiu 1 milhão de reais no Carnaval de 7 milhões de reais da Beija-Flor, e Alexandre fez cerca de oito viagens até lá.

A escola também irá falar sobre as civilizações antigas que habitaram a região, com um carro que traz representações de cerâmicas, e até mesmo da cultura mourisca, em uma alegoria com camelos.   Continuação...