Francês Pinault continua sendo o nome mais poderoso das artes

segunda-feira, 15 de outubro de 2007 16:44 BRST
 

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - O bilionário francês François Pinault manteve a liderança da lista anual de principais nomes da arte contemporânea mundial, na qual o britânico Damien Hirst é o artista mais bem colocado, em sexto lugar.

Entre eles no ranking "Power 100" da revista ArtReview, que saiu na sexta-feira, aparecem o galerista norte-americano Larry Gagosian, os curadores Nicholas Serota e Glenn D. Lowry e o colecionador Eli Broad.

Pinault, dono da casa de leilões Christie's, ganhou neste ano uma disputa com a Fundação Guggenheim para transformar um arruinado depósito renascentista em Veneza numa galeria, o que ajudou a consolidá-lo no topo do mundo artístico, segundo especialistas.

"Isso mostra que ele não está sentado sobre seus louros", disse Georgina Adam, editor da publicação The Art Newspaper e presidente da comissão que definiu a lista de 2007.

"Ele entregou o dia-a-dia da sua empresa a seu filho, o que o libertou para se concentrar mais na coleção de arte", acrescentou Adam, referindo-se à transferência do comando da rede de varejo PPR, em 2005.

Bernard Arnault, arqui-rival de Pinault nas artes e nos negócios, volta à lista Power 100, em 40o lugar, depois de ficar de fora em 2006.

Hirst, que permaneceu no noticiário neste ano graças à venda de um crânio de platina cravejado de diamantes, por 100 milhões de dólares, passou do 11o lugar em 2006 para o sexto em 2007. Ele é o único artista que já encabeçou o ranking, em 2005.

"O interessante é como ele sempre consegue ficar à vista do público e como conseguiu marcar sua obra", disse Adam. "Vivemos num período de grande excesso financeiro, e um crânio cravejado de diamantes é um símbolo da mortalidade e do excesso. Acho que sua capacidade de continuar na crista da onda é o que o fez subir na lista."