Takeshi Kitano exibe em Veneza seu olhar sobre o mundo da arte

quinta-feira, 28 de agosto de 2008 13:28 BRT
 

Por Mike Collett-White

VENEZA (Reuters) - O diretor cult japonês Takeshi Kitano lança seu olhar peculiar sobre o "cruel" mundo da arte e dos colecionadores de arte em seu filme mais recente, que faz sua estréia no Festival de Cinema de Veneza na quinta-feira.

"Achilles and the Tortoise" encara as questões fundamentais de o que é de fato a arte e se ela possui algum valor além do significado que tem para seu criador.

O filme zomba do mercado de arte ao mostrar um marchand inescrupuloso que vende o trabalho de uma criança como sendo de um mestre, além de um dono de galeria discursando sobre os méritos de obras diversas.

A comédia é um dos três filmes japoneses entre os 21 que integram a mostra competitiva em Veneza. Ela acompanha a vida de Machisu, desde sua infância, como menino absorto em sua pintura, até sua juventude, quando faz experimentos ousados com técnicas novas, até a meia idade, fase em que é representado pelo próprio Kitano.

A devoção de Machisu à arte tem consequências cômicas e trágicas.

Ele se desilude quando tenta copiar os estilos de artistas passados, mas, ao buscar criar algo realmente original, ele ultrapassa as fronteiras do mau gosto e flerta com o desastre.

Machisu também acaba afastando as pessoas que o cercam, com a exceção de sua sofrida mulher (Kanako Higuchi), a única personagem que compreende sua obsessão.

O que ele diz sobre a arte pode também se aplicar ao cinema. Ele admite que não é o que muitos considerariam um diretor comercialmente bem-sucedido.   Continuação...

 
<p>O diretor japon&ecirc;s Takeshi Kitano acena durante sess&atilde;o de fotos no Festival de Cinema de Veneza, no dia 28 de agosto. O diretor cult japon&ecirc;s Takeshi Kitano lan&ccedil;a seu olhar peculiar sobre o 'cruel' mundo da arte e dos colecionadores de arte em seu filme mais recente, que faz sua estr&eacute;ia no Festival de Cinema de Veneza na quinta-feira.. Photo by Max Rossi</p>